Ponte do Abunã: a história até a grande inauguração

Dia 7 de maio de 2021. Essa é uma data para ficar marcada na memória dos acreanos. O motivo? A tão sonhada inauguração da Ponte do Abunã, sobre o Rio Madeira, em Rondônia.

A estrutura, que se quer fica no estado do Acre, irá revolucionar as viagens por via terrestre para a população que vive aqui. A ponte é um elo entre o Acre e o restante do país.

A estrutura de concreto e aço é uma das maiores já erguidas pela engenharia na Amazônia (Foto: Pedro Devani / Secom Acre)

Até então, a travessia pela balsa era a única maneira de sair ou entrar no estado pela estrada BR-364. Por isso, era muito comum nessa parte da viagem encontrar filas de carros e caminhões para pegar a balsa, o que, consequentemente, representava uma demora na viagem.

Em 2014, quando o Rio Madeira sofreu a sua pior cheia em 100 anos deixando o Acre praticamente isolado, faltou de quase tudo nos supermercados. Os produtos que chegavam ao estado pela BR-364 não conseguiam passar daquele trecho e os acreanos viveram dias de caos. Naquele mesmo ano, as obras da Ponte sobre o Rio Madeira iniciaram. A presidente do Brasil, na época, era Dilma Rousseff.

As obras deveriam ser concluídas em 2017, segundo a primeira estimativa da superintendência regional do Dnit no Acre e Rondônia. No entanto, seu término veio após sete anos do início da construção.

A estrutura de concreto e aço, uma das maiores já erguidas pela engenharia na Amazônia, possui 1,5 quilômetro de extensão e 14,4 metros de largura. A ponte possui duas pistas de rolagem, acostamento em ambos os lados e passarela para pedestres.

A construção recebeu o investimento de R$ 154 milhões. Atualmente, a capacidade de tráfego pela balsa é de dois mil veículos por dia. Com a inauguração da ponte hoje, há uma tendência de aumento de até 50% do tráfego, além da redução do tempo de viagem, uma vez que os veículos não precisarão esperar pela travessia na balsa.

A solenidade de inauguração contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro, do governador do Acre, Gladson Cameli, do governador de Rondônia, Marcos Rocha, ministros, parlamentares e outras autoridades. O empreendimento é estratégico para a integração nacional, pois vai conectar o Acre ao sistema rodoviário brasileiro. A obra liga, de forma definitiva, os dois estados pela BR-364 e é importante para o escoamento de produção das regiões Norte e Centro-Oeste.

Assuntos desta notícia