Pular para o conteúdo
Homofobia

Artista acreano vítima de homofobia recebe diagnóstico irreversível de perda de visão, em São Paulo

Pedro Lucas, de 19 anos, foi agredido com uma chave de fenda no olho, em um bar de Rio Branco

Pedro teve o nervo ótico lesionado ao ser agredido com uma chave de fenda Foto: Arquivo pessoal)

Uma marca permanente de um crime que afetou não apenas o corpo, mas o emocional e o psicológico de um jovem artista de 19 anos. Essa é uma forma resumida para descrever as consequências do que está acontecendo com o acreano Pedro Lucas Araújo, que recebeu mais um diagnóstico irreversível de perda da visão no olho esquerdo, nesta quinta-feira,29, em São Paulo.

Pedro foi agredido com uma chave de fenda no olho por um homem, em um bar de Rio Branco, no dia 28 de maio deste ano. Na Capital, os diagnósticos foram de perda total da visão, pois a lesão afetou o nervo ótico. Mesmo assim, Pedro e o namorado, o cineasta Sérgio de Carvalho, foram a São Paulo realizar mais exames e buscar outras opiniões médicas, mas infelizmente, os diagnósticos foram os mesmos.

Sérgio explica que agora vão investir em outras formas de melhorar a qualidade de vida e da saúde de Pedro. “Um diagnóstico irreversível, Ainda tem uns exames que podemos fazer, mas o médico foi bem pontual aqui, um laudo meio definitivo já. A gente vai trabalhar agora numa questão de saúde mental, porque isso é muito importante. Pedro está com psicólogo muito abalado ”, relata.

A família do artista iniciou uma campanha de financiamento coletivo nesta semana e, em três dias, estão quase batendo a meta para pagar os custos da viagem, exames e consultas que Pedro realizou em São Paulo. O orçamento médico é de, em média, R$3 mil. “Porém, enquanto houver esperanças eu não irei desistir”, relata o artista, na descrição do financiamento que continua aberto e você pode colaborar clicando AQUI.

Consulta realizada nesta quarta-feira, em São Paulo, que deve ser custeada com dinheiro do financiamento coletivo. (Foto: Arquivo pessoal)

Na época do crime, Sérgio afirmou que acredita que a homofobia tenha sido o motivo para gerar tanto ódio. O caso aconteceu quando Pedro tentou ajudar o amigo que estava envolvido em uma briga. Na situação, acabou sendo agredido com um “mata-leão” e depois com uma chave de fenda, que atingiu o olho esquerdo. Sérgio recorda que todos frequentavam o bar e sabiam que eles eram um casal.

O agressor foi identificado, em investigação da polícia e do Ministério Público do Acre (MPAC), e a denúncia oficial deve ser apresentada até a próxima semana.

Exames e consulta custaram, em média, R$3 mil (Foto: arquivo pessoal)