Pular para o conteúdo
Covid-19

“Decisão acertada”, avalia médico infectologista sobre troca vacinal para grávidas

Ministério da Saúde autorizou, na última semana, a aplicação de segundas doses da vacina Pfizer para grávidas e puérperas que tomaram a primeira dose da vacina Astrazeneca

O Ministério da Saúde autorizou, na última semana, a aplicação de segundas doses da vacina Pfizer para grávidas e puérperas que tomaram a primeira dose da vacina Astrazeneca ou, em caso de falta da vacina Pfizer, a aplicação da Coronavac. A decisão foi acatada pelo Governo do Acre, mas deixou este público com dúvidas sobre a eficácia da troca vacinal.

Para o médico infectologista Thor Dantas, no entanto, trata-se de uma troca acertada. “É uma medida adequada. A Astrazeneca havia sido suspensa entre grávidas e com a interrupção dela, as grávidas estavam sendo orientadas a aguardarem após a gravidez para tomar a segunda dose”, explicou.

“Eu já havia me manifestado que achava que seria prudente, ao invés de aguardar completar a segunda dose com a vacina da Pfizer, porque já existem estudos bem feitos mostrando que a troca ou o reforço de quem tomou a primeira dose de Astranececa por uma segunda dose Pfizer é segura e eficaz, que tem estudos mostrando segurança e eficácia, então, melhor que aguardar o parto é fazer essa opção, e aquelas grávidas que ainda não tomaram nenhuma fariam o ciclo completo de Pfizer”, finalizou Dantas.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, mulheres que receberam a primeira dose da vacina Astrazeneca/Fiocruz e que estejam gestantes ou no puerpério podem procurar as unidades de saúde onde está ocorrendo vacinação para tomar a segunda dose, da vacina Pfizer, com documento oficial com foto e carteira do Sistema Único de Saúde em mãos.

Leia mais: Grávidas que tomaram primeira dose da vacina Astrazeneca poderão tomar 2ª dose da Pfizer