Pular para o conteúdo
R$ 6.300

Governo quer dar auxílio financeiro para que professores comprem notebooks no Acre

A proposta, em forma de projeto de lei, será encaminhada à Assembleia Legislativa e deve contemplar também o pagamento de internet

O Governo do Estado anunciou que deve encaminhar à Assembleia Legislativa do Acre um Projeto de Lei que visa dar aos professores da rede estadual de ensino – que estão efetivamente na sala de aula – um auxílio financeiro para aquisição de notebook e pagamento de internet.

A medida faz parte do Programa de Inovação Educação Conectada e foi autorizada, na tarde desta sexta feira, 23, pelo governador Gladson Cameli, em Rio Branco, durante reunião com a secretária de Educação Socorro Neri e o procurador geral do Estado, João Paulo Setti.

O projeto deve ser encaminhado à Aleac para ser votado no fim do recesso parlamentar. O governador lembrou que, ao autorizar o auxílio, o governo cumprirá 11 medidas assumidas junto ao Sindicato da categoria durante audiência que tratou sobre a suspensão da greve da categoria e destacou as ações de valorização e melhoria das condições de trabalho dos colaboradores.

“Nas últimas semanas, convocamos servidores efetivos e também cumprimos aqui o repasse dos notebooks mais a mensalidade. É o governo do presente visando o futuro”, disse o governador.

Pela proposta, segundo Socorro Neri, professor, gestor pedagógico e diretor de ensino, que estiverem efetivamente em sala de aula, irão receber um repasse em única parcela de até R$ 4.500 para comprarem um computador, mais um repasse de R$1.800,00 para pagamento do plano de internet. R$ 1.800 creditado em até 18 parcelas, sendo a primeira referente ao mês de julho de 2021 e a última a ser paga até 31 de dezembro de 2022.

“É uma medida que vai ajudar agora nesse momento que passamos para o sistema híbrido com a inclusão de tecnologia da informação no processo educativo”, enfatizou Neri.

A secretária lembrou que a proposta não contempla os professores do município que estão permutados para o Estado.

Leia também: Deputado Daniel Zen diz que governo não se preparou para garantir qualidade do ensino remoto