Pular para o conteúdo
pausa

Sinteac suspende movimento e decidirá sobre greve somente em setembro

Ainda sem acordo com a Prefeitura, o movimento decidiu suspender a mobilização e deve deliberar sobre uma possível greve em setembro

O impasse entre os servidores da Educação municipal e a Prefeitura de Rio Branco terá uma pausa de quase um mês, após o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac) suspender o movimento nesta quinta-feira, 5. O movimento deve ser retomado somente em setembro com uma possível greve, caso as reivindicações não sejam atendidas.

A reformulação do Plano de Cargos e Carreiras é uma das principais demandas dos servidores de ao menos 40 escolas que aderiram ao movimento. Nas últimas semanas, o grupo já havia realizado ao menos três atos de advertência e nesta quinta-feira, 5, voltou a se reunir em frente à sede da Prefeitura.

“A categoria suspendeu os serviços pelas condições de trabalho e também pela reposição inflacionária, porque a prefeitura está nas condições de atender o nosso pedido. Ela não está acima do limite prudencial, tem dinheiro (…) A procuradoria do município negou essa reposição inflacionária, mas nós discordamos”, ressaltou Rosana Nascimento, presidente do Sinteac, nesta manhã.

No último dia 19 de julho, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, chegou a se reunir com representantes do Sinteac para tratar das demandas da categoria, e embora uma comissão tenha sido criada para avaliar a viabilidade das propostas, o parecer, de acordo com o Sinteac, foi negativo. Desta forma, a categoria continua a mobilização que já afeta cerca de 40 escolas da rede municipal de ensino.

Leia também: Servidores da Educação municipal podem deflagrar greve, a partir desta quinta-feira