Pular para o conteúdo
veja o vídeo

‘Sensação de dever cumprido’, diz bombeiro que salvou homem que tentava suicídio, em Rio Branco

Com oito anos de carreira como bombeiro, cabo Evangelista já atendeu ao menos três ocorrências do tipo, mas, com paciência e uma escuta ativa, conseguiu fazer as vítimas desistirem de tirar a própria vida


As imagens do cabo Evangelista Moreira, do Corpo de Bombeiros do Acre, salvando a vida de um homem de 33 anos que ameaçava se suicidar no sábado, 16 de outubro, comoveram inúmeras pessoas nas redes sociais. Mesmo sob forte chuva, o homem, que não teve a identidade divulgada, ameaçava se jogar do alto da sede do Batalhão de Policiamento de Trânsito, no Segundo Distrito de Rio Branco.

Eram 10 horas da manhã, quando o Corpo de Bombeiros recebeu o chamado via Centro de Operações Bombeiro Militar. Cabo Evangelista, que aparece nas imagens negociando com o homem, foi designado para atender a ocorrência junto com o Cabo Brasil e o Cadete Jonas do 2° Batalhão de Educação, Proteção e Combate a Incêndio Florestal/Urbano (2° BEPCIF).

Ao chegarem ao local, perceberam que o homem estava visivelmente alterado e, após avaliarem a situação, Evangelista foi o escolhido para negociar com a vítima, com o intuito de fazê-la desistir de se jogar, situação agravada pela forte chuva que deixava o telhado ainda mais perigoso.

Para obter êxito na tarefa de fazer o homem desistir de pôr fim à própria vida e, finalmente, ser resgatado, cabo Evangelista relata que o maior desafio foi criar uma conexão com o rapaz.

“É necessário que a pessoa a negociar com o tentante tenha uma boa desenvoltura, que tenha uma boa entonação de voz, que possa passar confiança ao mesmo. Nervoso eu não fiquei, até porque se o negociador ficar nervoso ele perde o poder de convencimento e não passa segurança ao tentante. Foi, aproximadamente, uma hora de negociação”, conta Evangelista.

Com 31 anos de idade e oito anos de carreira como bombeiro, ele já atendeu ao menos três ocorrências do tipo, mas, com paciência e uma escuta ativa, conseguiu fazer as vítimas desistirem de tirar a própria vida. “A gente busca estabelecer um vínculo com o tentante, fazendo perguntas chave, buscando entender os motivos que o levaram a tal atitude. [Das três ocorrências do tipo que atendi] os dois mais acentuados foram esse de sábado e outro [homem] que subiu em uma torre de energia, no início do ano”, relembra.

Cabo Evangelista levou cerca de uma hora para convencer o homem a desistir (Foto: Cedida/Assessoria CBMAC)

Bombeiros fizeram treinamento

O Acre tem um dos mais altos índices de tentativas de suicídio do país. Para se ter ideia, somente nos seis primeiros meses de 2021, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência atendeu 64 ocorrências de tentativas de suicídio na capital acreana, o que representa mais que a metade das ocorrências registradas em todo o ano de 2020, que teve 113 casos, enquanto, em 2019, foram registradas 115 tentativas.

Quando se trata de outras violências autoprovocadas, com a chamada ideação suicida, foram 25 casos registrados, em 2019, 35, em 2020, e outros 22, somente no primeiro semestre deste ano, o que reitera o grave impacto emocional que a pandemia proporcionou à população.

“Todo plantão tem alguma alguma tentativa de suicídio, alguma ideação suicida, ingesta de medicação ou alguma autoagressão, mas existe sim a subnotificação, principalmente agora, no período de pandemia, a gente teve muitos casos de tentativa [de suicídio]”, relata o médico Pedro Pascoal, coordenador do Samu e da Rede de Urgência e Emergência da Sesacre.

Com o objetivo de se prepararem para lidar com este tipo de ocorrência, o Corpo de Bombeiros do Acre capacitou – com apoio do Corpo de Bombeiros do Ceará – militares de todas as regionais em Rio Branco para atenderem estas ocorrências da melhor forma possível.

“Neste ano, houve o primeiro curso de atendimento à tentativa de suicídio aqui no Acre (…). Hoje nós praticamos uma técnica chamada de Intervenção Baseada na Escuta no Diálogo, é uma forma de negociação que já tem sendo trabalhada na segurança pública em todo o Brasil como forma de abordagem ao tentante suicida. Nós trouxemos essa forma de abordagem em cinco dias de curso com militares tanto dos bombeiros quanto alguns policiais militares. Foram cerca de 30 bombeiros capacitados de todos os batalhões, então dentro de uma guarnição de serviço muito dificilmente algum deles não terá esse curso, por isso, dentro de ocorrências dessa natureza o militar que realiza a abordagem é o que fez o treinamento”, relata o Tenente Felipe Santiago, do CBMAC.

Onde buscar ajuda?

Em setembro deste ano, mês dedicado à prevenção do suicídio, A Gazeta do Acre  fez um mapeamento de todos os serviços de saúde disponíveis, em Rio Branco, onde é possível procurar ajuda, caso precise de apoio psicológico ou conheça alguém que necessita deste acompanhamento.

Para conferir, basta clica nos pontos amarelos do mapa e visualizar mais informações sobre cada local, ou após clicar em cada ponto amarelo, clica na seta ↵ para ser direcionado via GPS.

Além dos pontos físicos de atendimento, a Prefeitura de Rio Branco disponibiliza também o Telessaúde, telefone por meio do qual as pessoas podem ligar para conversar com um profissional qualificado. O número é: (68) 3216-2400.