Pular para o conteúdo
dia 26

Contra aumento na tarifa de energia, movimento fará ato em frente o Ministério Público para pedir providências

Mobilização será na próxima sexta-feira, 26, a partir das 8h, em frente à sede do Ministério Público do Acre

(Foto: Dell Pinheiro)

Será realizado na próxima sexta-feira, 26, a partir das 8h, em frente à sede do Ministério Público do Acre (MP/AC), na Marechal Deodoro, o encerramento da campanha de mobilização da sociedade acreana intitulada: Movimento Popular Contra os Abusos Praticados pela Energisa no Estado.

“Estamos bastante animados com os resultados dessa que já é uma das maiores lutas contra os abusos na cobrança de energia dos acreanos, pois mobilizamos milhares de pessoas, recolhemos milhares de assinaturas e agora é chamar atenção dos órgãos de controle para que fiscalizem as denúncias colhidas”, enfatizou Panthio, um dos organizadores da manifestação.

Para os manifestantes, o propósito de encerrar o movimento com manifestação na sede do MP, tem uma simbologia mais prática daquilo que querem como resultado. “Tivemos a ideia de encerrar nossa luta no Ministério Público por entender que aquela é uma instituição de maior representatividade na defesa dos direitos coletivos e individuais de qualquer cidadão”, acrescentou Panthio.

O presidente da Federação das Associações de Moradores do Acre (FAMAC), Márcio Pereira, convida toda sociedade para participar do movimento. “Nós convidamos toda população que assim como nós estar inconformada com as cobranças abusivas na fatura de energia. Queremos providências das instituições e por isso resolvemos fazer nossa manifestação em frente à sede do Ministério Público do Estado. Convidamos os líderes comunitários, comerciantes, população em geral, pois somente assim iremos ter respostas positivas da nossa luta”, concluiu.

(Foto: Dell Pinheiro)

Principais Pautas do Movimento

  1. Fiscalização dos atos da Energisa por parte do MPE e Procon;
  2. Cobrar fiscalização nas aferições e perícias dos medidores, por parte do IPEEM-Inmetro e não da própria energisa;
  3. Fiscalizar as denúncias de cobranças por média de consumo;
  4. Fiscalizar as cobranças indevidas, pois muitas pessoas estão tendo a energia cortada sem dever fatura alguma e ainda estão sendo incluídas nos órgãos de
  5. Serviço de proteção ao crédito; como SPC e SERASA;
  6. Exigir da Energisa o fortalecimento do setor social, para que possam estar mais próximos dos problemas ocasionado a sociedade e que este serviço seja eficiente;
  7. Respeito por parte da Energia aos consumidores, pois os acreanos pagam e caro pelo serviço de energia, tão questionado por quase 100% dos consumidores;
  8. Acompanhar mais de perto as cobranças de taxas e serviços dos consumidores detentores de placas solar no Estado.