Pular para o conteúdo
ALERTA

Hospitalização de crianças dispara nos EUA e cria novos temores da Ômicron

Em poucas semanas, a variante Ômicron já provocou milhares de novas hospitalizações de Covid-19 de crianças nos Estados Unidos, aumentando as preocupações com os muitos norte-americanos não vacinados de menos de 18 anos em meio à nova disparada de casos de coronavírus.

A média de sete dias de hospitalizações diárias de crianças entre 21 e 27 de dezembro subiu mais de 58% nacionalmente na última semana e chegou a 334, em comparação com 19% para todas as faixas etárias, segundo dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC). Menos de 25% dos 74 milhões de norte-americanos de menos de 18 anos estão vacinados, segundo o CDC.

Acredita-se que os casos de Ômicron terão uma disparada ainda mais rápida no país quando as escolas reabrirem na semana que vem, ao final dos feriados de inverno, alertaram especialistas.

Médicos dizem que é cedo demais para se determinar se a Ômicron causa doenças menos graves em crianças do que outras variantes do coronavírus, mas que sua transmissibilidade extremamente alta é um fator central que está elevando as hospitalizações.

“Ela infectará mais pessoas e está infectando mais pessoas. Vemos os números subirem, vemos as hospitalizações de crianças subirem”, disse a médica Jennifer Nayak, especialista em doenças infecciosas e pediatra do Centro Médico da Universidade de Rochester.

“O que estamos vendo é que as crianças de menos de 5 anos continuam não vacinadas, então ainda há uma população relativamente grande de crianças que não têm imunidade preexistente a este vírus”, disse Nayak.

Mesmo na cidade de Nova York, que tem uma das maiores taxas de vacinação dos EUA, só cerca de 40% das crianças e adolescentes de 5 a 17 anos estão totalmente inoculadas — os adultos são mais de 80%, mostram dados municipais de saúde.

Os EUA ainda não autorizaram nenhuma vacina para crianças menores de 5 anos.

As hospitalizações de pessoas de 18 anos ou menos na cidade de Nova York aumentaram de 22 na semana iniciada em 5 de dezembro para 109 entre 19 e 23 de dezembro. Crianças de menos de 5 anos representaram quase metade do total de casos. As hospitalizações de pessoas de 18 anos ou menos em todo o Estado foram de 70 entre 5 e 11 de dezembro para 184 entre 19 e 23 de dezembro.

Entre crianças pequenas, as taxas de vacinação são muito menores do que em outras faixas etárias, já que algumas famílias hesitam em submeter seus membros mais jovens a uma nova vacina.