Pular para o conteúdo
do acre para o mundo

Aos 19 anos, acreano vai representar o Brasil em campeonato de MMA, em Dubai

Breno Yuri começou a treinar jiu-jitsu e karatê aos seis anos de idade, em Rio Branco, por influência do pai, Richard Santos

No período de 24 a 29 de janeiro, o acreano Breno Yuri estará em Abu Dhabi, onde vai competir representando o Acre e o Brasil no IMMAF Amadores. (Foto: Arquivo pessoal)

Foi aos seis anos de idade que o acreano Breno Yuri começou a treinar jiu-jitsu e karatê, em Rio Branco, onde nasceu. Hoje, com 19, ele se prepara para participar de seu primeiro campeonato mundial, por meio da Confederação Brasileira de MMA Desportiva (CBMMAD). No período de 24 a 29 de janeiro ele estará em Abu Dhabi, Dubai, onde vai competir representando o Acre e o Brasil no IMMAF Amadores.

Com treinos seis vezes por semana e pelo menos duas vezes por dia, ele afirma que a preparação está sendo intensa. “Sinto felicidade de ver que tudo está acontecendo. Sei que é o começo ainda, tenho muita coisa pela frente, mas de cara assim, em menos de dois anos, ter a oportunidade de representar o Brasil é muito bom, estou muito grato. Estou treinando bastante e estou muito confiante que posso trazer uma medalha para o Brasil”, declara Yuri.

O acreano mora no Rio de Janeiro desde o início de 2020, onde é bolsista treinado pelo mestre Dedé Perdeneiras e tem como parceiros de treino nomes como José Aldo, Dudu Dantas e Léo Santos. Apesar de ter todos estes como ídolo, foi com seu pai que ele aprendeu a amar o esporte. Breno conta que desde bebê, no colo de sua mãe, assistia os treinos do pai, o também acreano, Richard Santos. Aos seis anos de idade, começou a treinar com o professor Rivelino e garante que nunca mais parou.

“Meu pai é meu ídolo no MMA, ele que me influenciou”, declara Breno sobre o pai, o acreando, Richard Santos. (Foto: Arquivo pessoal)

“Meu pai é meu ídolo no MMA, ele que me influenciou. Hoje ele não está mais em atividade, sempre falo para ele que ele não conquistou tantas coisas como atleta, mas só dele ter me apresentado o que eu mais amo na minha vida já foi gratificante. A luta é minha vida, meu futuro, meu presente. Vou levar para a vida toda. Não só o MMA, sempre gostei do esporte, de jogar bola, de estar ativo”, afirma o jovem atleta.

Yuri conta que ele o pai sempre tiveram o plano de morar e treinar no Rio de Janeiro, oportunidade que surgiu no ano retrasado. Desde então vêm se dedicando para participar do campeonato da Federação Internacional de Artes Marcias Mistas (IMMAF). Em dezembro de 2021 ele conseguiu passar na seletiva do evento e em 1 minuto e 20 segundos de luta.

“Vim para o Rio atrás de oportunidades, já que o esporte ainda é um pouco carente no nosso estado. E aqui venci todos campeonatos que participei de lá pra cá. Aqui sou bolsista, mas conto com a ajuda do meu pai. A viagem será pela CBMMAD. Estou muito feliz e motivado com esta oportunidade!”, relata.

Evento mundial será realizado no final de janeiro, em Dubai.

Leia também: Acreano Enoque Ferreira conquista medalha de ouro no 31° Campeonato Brasileiro de Kungfu Wushu