Falta de estacionamento para motos causa confusão no Centro

estacionamento
A frota de carros e motos cresce a cada dia na Capital e os reflexos deste aumento já causam inúmeras dores de cabeça à administração pública e transtornos à população. A prova mais recente disso foi o clima tenso que tomou conta do Mercado Municipal Elias Mansour, ou Mercado Novo, ontem, pela parte da manhã, quando cerca de 20 motocicletas de permissionários que trabalham no local foram multadas e apreendidas por estarem estacionadas sobre a calçada em frente ao mercado, impedindo a livre circulação de pedestres e mesmo a realização de serviços públicos de manutenção elétrica.

A rigor da lei, eles estão inteiramente errados, infringindo o art. 181, inc. VIII, do Código de Trânsito Brasileiro, que prevê multa de R$ 127,94 e medida administrativa de remoção do veículo pela infração grave (- 5 pontos na carteira) de estacionar sobre calçadas. Contudo, do ponto de vista convencional, os permissionários sempre deixaram suas motos no lugar em questão devido à falta de espaço para estacionar e os riscos de furtos e danos nos pontos afastados. O resultado: confusão generalizada entre os trabalhadores e os policiais que interviram para zelar pelo cumprimento da lei.

De acordo com policiais, houve denúncias por parte de transeuntes do lugar de que as motos estavam atrapalhando a passagem. Como se trata de uma transgressão ao CTB, recorreram ao Rbtrans para autuá-los, foi quando encontraram um grupo de permissionários protestando contra a ação. Daí por diante a confusão estava armada, a ponto dos policiais precisarem de reforços para garantir sua integridade diante de um grupo de 20 pessoas.

Os trabalhadores alegaram que estavam em negociação com a prefeitura para estacionar as motos no local e já tinham recebido permissão do administrador do mercado para isso. Por sua vez, os policiais responderam que ainda se tratava de uma irregularidade e que nem eles, nem ninguém, tinham o direito de transgredir o CTB e arrancar uma placa de proibido estacionar (atitude esta que teria sido tomada pelo administrador do mercado).

Os permissionários também acusaram o fiscal municipal da área de ter feito a denúncia, que se defendeu dizendo que não tinha nada a ver com a questão e que estava lá apenas para garantir a ordem e socorrer aos policiais no meio da discussão.
O resto da manhã correu com uma série de outras acusações de cada lado da história, alguns mais exaltados, outros menos. Órgãos e instituições sendo colocadas no meio do bate boca, até que o tempo tratou de acalmar um pouco os ânimos das partes. No fim, não passou de mais um episódio das dificuldades que o trânsito da cidade começa a ter com o inchaço de veículos e a falta de definição para uma situação mal resolvida. Ainda assim, os condutores foram multados e as motos removidas.

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation