Florindo é reeleito presidente da OAB/AC com mais de 550 votos

capa5
Com  557 votos, a chapa ‘Uma Ordem para Todos”, encabeçada por Florindo Poersch, venceu as eleições para presidir a Ordem dos Advogados do Brasil no Acre pelos próximos três anos.  Silvano Santiago, da chapa “Prerrogativa dos Advogados”, recebeu apenas 234 votos.

Esta não é a primeira vez que Florindo e Silvano disputam a presidência da OAB-Acre. O primeiro enfrentamento aconteceu na eleição passada, quando Poersch obteve 385 votos contra 378 de Santiago, numa diferença apertada de apenas sete votos.

Para o presidente reeleito, Florindo Poersch, apesar da grande expectativa de vitória, a diferença de votos foi uma surpresa. “Não esperávamos uma diferença tão grande”, comemorou, minutos depois de saber o resultado oficial, nas dependências do Tribunal Regional Eleitoral, o TRE, onde aconteceu a votação.

Poersch destacou ainda que os advogados do Estado reconheceram o seu trabalho e que este será o seu último mandato. “Não quero mais do que apenas terminar o trabalho que iniciamos nestes últimos três anos,” disse.

Após o resultado da eleição, uma grande carreata saiu pela cidade em comemoração à vitória.

“Agora, Florindo terá uma oposição”, diz Silvano
O candidato derrotado na eleição da OAB/AC, Silvano Santiago, afirmou que as eleições demonstraram que reina a democracia na Ordem.

“Mostramos que aqui tem democracia”. Mas afirmou que mesmo derrotado fará oposição ao candidato reeleito para mais três anos, Florindo Poersch.

“O Florindo trabalhou sem oposição, mas agora terá uma”, afirmou Santiago. Ele admitiu que a derrota de sua chapa aconteceu em razão de que a oposição apresentou nomes muito tarde.

“A demora em sairmos com um nome nos fez perder votos, nos prejudicou”, pontuou Silvano Santiago.

Logo após sair o resultado, o defensor Waldir Perazzo se irritou com simpatizantes da chapa vencedora, na saída do TRE.

O grupo se dirigiu ao defensor, que pertencia à chapa de Santiago, com chacotas relacionadas à derrota, causando irritação ao defensor, que chegou a revidar. (Rutemberg Crispim/Agência A Gazeta.net)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation