PIB da indústria acreana alcança crescimento real de 13,5% em 2009

A Federação das Indústrias do Acre (Fieac) divulgou ontem de manhã, na sua sede principal em Rio Branco, o balanço geral da indústria acreana em 2009, com dados computados de janeiro até outubro e/ou novembro, assim como as expectativas do setor para 2010. Segundo o relatório apresentado pela Federação, a indústria do Acre atingiu um desempenho bastante positivo, com crescimento real do seu Produto Interno Bruto, PIB (índice que mede a soma de bens e serviços de uma região), de 13,5%, em 2009. Para se ter uma idéia do progresso industrial, a marca supera, e muito, a da indústria nacional (4,5%), do PIB geral do Estado (8,6%) e do geral do Brasil (0,0).

Conforme o estudo da Fieac, o ramo que mais contribuiu ao avanço industrial no Acre foi o de Construção Civil, registrando números recordes, na sua maioria, por conta das obras do Governo estadual. De fato, o nível de emprego na Construção Civil foi de 19,97 entre janeiro e novembro, com ápices em abril (8,99%) e julho (11,92%). Só no mês passado, fo-ram detectados pela amostragem da Federação 3.767 empregos na área, o que aponta o universo totalizante tenha sido em torno de 10 mil empregos.

Os demais ramos industriais (denominados de Indústria de Transformação) faturaram até outubro deste ano 7,72% a mais do que em 2008, com capacidade para produção de 2,2% também superior. Os destaques deste conjunto ficaram por conta das atividades de cerâmica e de madeireiras/móveis. Quanto ao nível de emprego, a Indústria de Transformação acreana teve alta de 6,03%.

“Estes dados comprovam que a indústria do Estado atingiu marcas de crescimento extraordinárias, superando todas as nossas expectativas. E a tendência é de que em 2010 esse processo siga o mesmo ritmo, pois será um ano ainda mais favorável à Construção Civil, carro-chefe da indústria acreana, com a intensificação do programa Minha Casa, Minha Vida. Sem falar que se trata de um ano eleitoral, que aquece bastante a área de gráficas. Portanto, estamos muito otimistas com estes dados e agradecidos ao IEL pela parceria na coleta deles”, ressalta João Francisco Salomão, presidente da Fieac.

Outras avaliações que deixam os industriários com bons olhos em relação ao próximo ano são a previsão do PIB da indústria acreana e o índice de confiança do empresariado do setor. Segundo tais estimativas, o PIB industrial do Acre será de 15% em 2010, enquanto a confiança dos empresários começou o ano equilibrada e termina em alta com a superação de crises e outros entraves financeiros: 58,3% no 1º trimestre; 57,1% no 2º trim. e 66,5% no 3º trim, (4º trim. ainda não foi totalmente apurado).  

A indústria também conseguiu reverter nos últimos 6 anos os níveis de emprego no quadro geral do Estado. Em 2003, a indústria contratou 9% do total de profissionais com carteira de trabalho assinada (mercado formal), enquanto administrações públicas comportavam mais de 60%. Já em 2009 este valor subiu para 15% na indústria, enquanto o funcionalismo público ficou com aproximadamente 50%.   

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation