Padrasto que estuprou criança é encontrado morto em presídio

morte-presidio
O braçal Magaiver Batista de Souza, 23 anos, preso no último dia 25 de dezembro, após estuprar e matar a enteada, uma criança de apenas dois anos de idade, na Colônia Trincheira, no Rio Iaco, município de Sena Madureira, foi encontrado morto dentro de uma das celas do Presídio Antônio Amaro, na tarde do dia 31. Ele havia sido transferido na tarde do dia 30, após ter sido hostilizado por detentos do presídio em Sena Madureira.

Segundo informações, detentos do Presídio Evaristo de Moraes em Sena Madureira realizaram um motim em protesto a presença de Magaiver naquela Unidade de Segurança Prisional.

Eles ameaçavam matá-lo caso a direção decidisse em mantê-lo no presídio. Por motivos de segurança, Magaiver foi transferido para o Presídio Antônio Amaro em Rio Branco e mantido preso isolado dos demais detentos que também não aceitavam a presença do acusado de estupro.

Na tarde de quinta-feira, 31, agentes penitenciários encontraram o detento dependurado nas grades da cela preso a um lençol.

Uma equipe de paramédicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada para atender ao preso, mas ao chegar ao local ele já estava morto.
Uma equipe de Peritos do Instituto Médico Legal (IML) resgatou o corpo para a realização de exame cadavérico.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML), assinado pelo legista Alberto Okamura, indica que o presidiário Magaiver Batista de Souza, 22, morreu por traumatismo craniano.
Além do traumatismo crania-no, que teria causado a morte do detento, existiam hematomas por todo o corpo, principalmente nos olhos e na testa.
Em nota, o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen) afirma que Magaiver cometeu suicídio. .

Nota de esclarecimento
O Instituto de Administração Penitenciária do Acre, IAPEN, informa à população que o homem que violentou e matou uma criança de dois anos em Sena Madureira cometeu suicídio na tarde de quinta-feira, na Penitenciária Antônio Amaro Alves.

Magaiver Batista de Souza, 22 anos, estava preso desde o dia 25 de dezembro em Sena Madureira depois de ter confessado o crime. Por razões de segurança ele foi transferido para Rio Branco onde enforcou-se com um lençol, no interior de sua cela, na tarde de 31 de dezembro.

A Polícia Técnica já realizou perícia no local e todos os exames do cadáver para subsidiar o inquérito instaurado para o completo esclarecimento do ocorrido. O corpo seguiu para o Instituto Médico Legal e deverá ser trasladado ainda hoje para Sena Madureira. A família do detento foi comunicada do ocorrido pelo diretor da unidade prisional daquele município com a assistência de um profissional da área de psicologia.

O Iapen esclarece ainda que, tanto a transferência do preso para Rio Branco quanto o fato dele não ter sido levado para a penitenciária provisória Francisco de Oliveira Conde foram medidas de segurança tomadas para preservar a integridade física do mesmo que estava sendo ameaçado pelos demais detentos. Tudo foi feito com a devida autorização dos juízes competentes. 

Helder Ribeiro Luz
Diretor em exercício do Iapen
 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation