Jovem ameaça se enforcar no alto de torre

ZZZZZZZZZZZENCONTRO4
Uma ação conjunta do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar conseguiu evitar ontem que Paulo Nogueira da Costa, 21 anos, pulasse para a morte de uma torre, na Rua Arlindo Paiva, Residencial Yolanda, nas proximidades do Ginásio do Sesi. Abandonado pela namorada, o jovem decidiu colocar fim à própria vida e só não conseguiu devido à rápida intervenção da polícia.

Paulo mora na Rua Rio Grande do Sul, nº 3.011, no Centro da Capital, mas escolheu uma localidade mais isolada para executar o plano de morte. Por volta de 11h da manhã, chegou ao local numa motocicleta, estacionou e deu início à escalada. A torre tem aproximadamente 30 metros. Paulo parou na metade, amarrou uma corda no pescoço e disse que ia se jogar para completar o enforcamento.

A presença do rapaz foi logo percebida pelos moradores das proximidades. Uma chamada de emergência foi feita ao Centro Integrado de Operações Poli-ciais da PM, que imediatamente acionou uma equipe de resgate do Corpo de Bombeiros para atender a ocorrência. Em questão de minutos, uma equipe de policiais estava no endereço dando início à operação de salvamento.

Num primeiro contato com populares, os policiais descobriram que o fim de um rela-cionamento amoroso seria o motivo do desespero do rapaz. Sob a alegação de que a tal namorada estava a caminho do local, os bombeiros foram ganhando a confiança de Paulo aos poucos, se aproximando até o ponto em que ele estava preso.

Cerca de 30 minutos se passaram até que os bombeiros conseguissem chegar até ele. Paulo ainda lançou as duas pernas para fora da torre, aumentando a apreensão dos curiosos que começavam a se aglomerar em volta da torre. Às 12h15, os bombeiros enfim conseguem imobilizar o rapaz e dar início à descida.

Ao pisar no solo, ele encobre o rosto com uma camisa e declara que realmente estava disposto a tirar a própria vida por amor. “Eu não consigo vencer sem ela”, disse aos soluços. Segundo ele, o relacionamento com a amada desconhecida terminou depois de um ano porque ele era usuário de droga. “Ela me deixou porque sou ex-dependente químico”, disse.

Do lado de fora do terreno onde está localizada a torre, uma equipe do Serviço Móvel de Urgência (Samu) aguardava para prestar os primeiros socorros ao rapaz. De acordo com o capitão Anastácio, que coordenou a operação de resgate, Paulo seria encaminhado ao Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac) para avaliação psicológica. A família também seria avisada.

 

Assuntos desta notícia

Join the Conversation