Continuidade do Luz para Todos vai depender dos próximos governos, afirma Lobão

edison
Edison Lobão


Brasília –
O programa Luz para Todos, do governo federal, atendeu desde 2004 cerca de 12 milhões de residências no país, gerando 335 mil empregos novos. A ampliação do acesso de comunidades carentes à rede de distribuição de energia elétrica envolveu a instalação de 5,6 milhões de postes de concreto, com o uso de 1 milhão de cabos de transmissão, que equivalem a 27 vezes a volta ao planeta Terra, segundo o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

Em entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Ministro, Lobão disse que o governo vai cumprir a meta de levar energia elétrica a localidades distantes até o dia 31 de dezembro deste ano, mas a continuidade do programa vai depender dos próximos governos.

Ele lembrou que a demanda pelo fornecimento de energia nessas localidades aumenta à medida que a população do país cresce. De acordo com o ministro, a experiência do Brasil com o programa já despertou a atenção de muitos países, que se interessaram em conhecer os métodos desenvolvidos para levar energia elétrica às populações residentes em áreas mais pobres.

Lobão destacou também a importância do Programa Nacional de Iluminação Pública e Sinalização Semafórica Eficientes (ReLuz), que, segundo ele, vem propiciando “redução de demanda e de consumo de energia, com a melhora da iluminação pública nos municípios, embelezando as cidades, com a instalação de lâmpadas econômicas e mais modernas”.

O ReLuz é desenvolvido sob a coordenação da Eletrobrás e já teve projetos concluídos em Roraima, no Tocantins, na Bahia, no Ceará, na Paraíba, no Rio Grande do Norte, Distrito Federal, em Mato Grosso, no Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná e em Santa Catarina. Há ações em fase de execução parcial em Rondônia, Pernambuco, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, e no Rio Grande do Sul. (Agência Brasil)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation