“Jogo eleitoral não está definido”, diz Lula

Ao participar de entrevista coletiva na tarde de hoje (3) após a inauguração do Portal Brasil, o novo portal do governo na internet, o presidente Lula fez um alerta: os crescimentos da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, nas pesquisas são um sinal do bom desempenho da sua candidatura, mas “o jogo eleitoral não está definido”.

Ao complementar a resposta, o presidente deixou nas entrelinhas uma certa preocupação com a possibilidade de se concretizar a chapa José Serra/Aécio Neves, e também com as dificuldades que vem tendo Dilma para definir com o PMDB quem será o seu candidato a vice. “Eu acho que a performance de Dilma está bem, mas o jogo não está ainda definido, nãos e sabe qual é a escalação dos times, ainda precisa escalar os times.

Para Lula, o crescimento de Dilma tem relação direta com o aumento do seu grau de conhecimento diante da população. Para o presidente, quando ela deixar o governo, podendo fazer campanha mais livremente, ela deverá ficar ainda mais conhecida e crescer ainda mais nas pesquisas.
Para Lula, porém, ninguém deve imaginar que o avanço de Dilma necessariamente afugentará Serra da disputa. “É uma grande bobagem imaginar que uma pesquisa deixe um candidato com medo, com oito meses de antecedência de uma eleição. O que eu digo para vocês é que o jogo está começando, e o jogo está bom. Há um certo equilíbrio. Não é como Santos fez com o Corinthians no domingo (o Santos ganhou de 2X1, com direito a olé no final).

Lula elogiou o fato de Serra e Dilma terem estado juntos num mesmo evento (a inauguração da fábrica de máquinas agrícolas Case New Holland). “Eu acho que o fato de Dilma e Serra aparecerem juntos é um fato inusitado da conquista da democracia brasileira. As pessoas que são candidatas e que são oponentes já não se vêem mais como inimigas, como antigamente”, elogiou o presidente.

Bolsa-família

Lula comentou ainda a aprovação pelo Senado de um projeto que aumenta o benefício conforme o desempenho escolar do filho. O projeto é do PSDB. Perguntado se a oposição estava querendo se apropriar do Bolsa-Família, Lula respondeu: “Ora, se todo o mal que o meu governo puder causar é os meus adversários tentarem aprovar mais política social, ótimo”. Para Lula, “a ideia pode ser boa, de você criar um instrumento de incentivo a mais para que as crianças estudem. Eu só espero … eu não vi a decisão deles … que eles tenham colocado de onde vai sair o dinheiro”. (Congresso em foco)

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation