Mais de 20 bairros ficarão sem energia no domingo

A Eletrobras informou por meio de comunicado que 24 bairros da Capital ficarão sem energia no próximo domingo, 18, devido à instalação de um novo transformador na subestação São Francisco. A interrupção está prevista para iniciar às 4 horas da madrugada e encerar às 8 horas.
Falta-luz-domingo
A suspensão de energia vai atingir os bairros Santa Inês, Estrada do Amapá, Comara, parte do Centro, Cadeia Velha, Seis de Agosto, Areial, Aeroporto Velho, Cidade Nova, Quinze, Triângulo Velho, Triângulo Novo, Taquari, Vila Ivonete, Conjunto Procon, Conjunto Solar, Raimundo Melo, Placas, Xavier Maia, Conjunto Ouricuri, Conjunto Santa Cruz, Conjunto Santa Cecília, Corrente  e Mauri Sérgio.

Seqüência de falhas ocasionou o apagão no Acre e Rondônia
Uma nota de esclarecimento enviada pela Eletronorte para suas subsidiárias no Acre e Rondônia, na qual A GAZETA obteve conhecimento do conteúdo, fornece algumas informações sobre o apagão da noite da terça-feira (6) da semana passada, deixando parte dos 2 Estados sem energia por mais de 2 horas. Ao contrário das versões anteriores, a estatal disse que a origem do problema se deu na Subestação Termo-Norte, em Porto Velho.

Qual a pane específica, porém, a empresa não informou no comunicado. Essa unidade está sob responsabilidade de empresa privada, que ganhou a concessão por um período de 20 anos. Ao acontecer, o problema provocou a “abertura” das chaves das máquinas geradoras. Essa “abertura”, na linguagem técnica, é a proteção automática do sistema que evita danos maiores ao longo da rede de transmissão. Ao se abrirem as chaves, o fornecimento de energia é interrompido no mesmo instante.

Interrompida a transmissão, os técnicos da empresa no Acre precisaram entrar em ação para ativar as duas turbinas geradoras que mantêm hospitais e clientes prioritários (que fazem o uso de aparelhos hospitalares) recebendo energia. Juntas, elas têm capacidade de produzir 36 MW. Mas uma série de falhas também as tirou de operação. Na primeira foi um curto-circuito interno e na segunda a destruição do pára-raios a impediu de ser acionada.

Como estão em desuso, as duas máquinas podem entrar em pane em caso de emergência. Segundo informações, elas são ligadas apenas 2 vezes por semana para manutenção. O fabricante, a americana Boeing, recomenda que este trabalho seja diário. A reativação de todo o maquinário das antigas usinas termelétricas é hoje o grande X da questão da segurança energética do Acre.

Desde que o Estado passou a fazer parte do SIN (Sistema Interligado Nacional), em outubro do ano passado, a grande maioria das máquinas geradoras foi desativada. A manutenção delas é defendida principalmente pelo Sindicato dos Urbanitários, que representa os trabalhadores das estatais do setor elétrico. Para eles, a  ativação dessas usinas é essencial para garantir energia para o Acre em casos como da última terça.

Outra ponderação: nos meses do “verão amazônico”, quando o consumo de energia chega ao pico, a Eletronorte precisa desafogar seu sistema, interrompendo o fornecimento por alguns minutos em pontos específicos. Segundo membros do sindicato, caso as usinas estivessem em condições de funcionar, essa interrupção não precisaria acontecer.       

 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation