Município vai combater trabalho e exploração infantil na Expoacre

Uma equipe de abordagem composta de 30 educadores e técnicos estará, durante as 9 noites de realização da Expo-acre 2011, percorrendo toda a extensão do parque em ação de combate ao trabalho e exploração sexual de crianças e adolescentes. O trabalho realizado de forma continuada no município de Rio Branco pela Secretaria Municipal de Ação Social (Semcas) será potencia-lizado durante o evento em parceria com o Ministério Público Estadual, polícias Militar e Civil, Instituto Sócio-educativo (ISE), Faao e Uninorte.
Exploracao
A sede da Semcas dentro da Expoacre estará localizada próximo à entrada principal do parque, em espaço dividido com a PM. O escritório contará com sala de acolhimento e brinquedoteca. Para lá, serão conduzidas crianças e adolescentes perdidos ou desacompanhados dos pais, em flagrante de consumo de bebida alcoólica, trabalho infantil informal, situação de exploração sexual ou prática de delito. Inicialmente as ações serão apenas de prevenção e educação, mas ao serem identificadas ocorrên-cias que necessitem atenção especial, as equipes estão preparadas para acionar o Juizado da Infância e Juventude.

Todos os casos terão encaminhamento imediato independente de horário, garantiu o diretor de Proteção Especial da Secretaria de Ação Social, Fábio Fabrício, como forma de preservar a integridade física dos menores. “A primeira providência é localizar a família e levar estes meninos e meninas em casa. Se não for possível esse contato é que serão levados aos abrigos”, explica. A ação não se encerra durante o evento. Cada criança ou adolescente abordado em situação de risco social será encaminhada posteriormente aos serviços oferecidos pelo município por meio dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras), Centro de Referência Especializada em Assistência Social (Creas) e programas como o Clube do Talento e Pro Jovem Adolescente.

Para denúncias e informações, a Semcas disponibiliza o número 9984-5399 da equipe de abordagem social. Equipes de educadores, psicólogos, pedagogos e assistentes sociais também irão atuar durante a Cavalgada.

DRT diz que casos de trabalho infantil na feira caiu nos últimos anos – O trabalho infantil em empresas formais foi reduzido drasticamente nos últimos 3 anos, segundo dados da Delegacia Regional do Trabalho. O maior número de denúncias era rela-cionado aos receptores de produtos recicláveis, como latas de alumínio. Medidas de conscientização desses empresá-rios e ações de fiscalização reduziram os índices levando a um saldo positivo verificado pela DRT em 2010, que hoje apenas atua na retaguarda das atividades da Rede de Atenção à Criança e o Adolescente nas situações de envolvimento de empresas nas denúncias.

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation