População já está à procura de produtos para consumir durante a Semana Santa

Semana santaDe acordo com a tradição, durante a Semana Santa (dias que celebram a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo), a Igreja prescreve a abstinência de carne vermelha. Com isso, a população já está procurando nas feiras e supermercados um dos produtos mais consumidos para a época: o peixe.

De acordo com Aécio da Silva, gerente da Central de Abastecimento do Acre (Ceasa), as vendas começaram a crescer na segunda. “Aqui, agimos de acordo com as leis. Fiscalizamos para saber a origem do peixe. Estamos organizando a feira para abrirmos a partir de segunda-feira (2) e vai durar até o meio-dia de sexta-feira (6). Aqui, só trabalham os produtores das associações e cooperativas. Vendemos no ano passado 105 toneladas neste período e esperamos que neste ano as vendas cheguem a 150 toneladas”.

O produtor Juliano Kioki falou que a concorrência neste ano será maior. “Em 2011, havia poucos produtores. Em 2012, dobrou o número. Vendemos cerca de 6 toneladas, geralmente vendíamos 20 toneladas. Neste ano, com certeza, o número vai cair”.

Anderson Alexandre trabalha há 3 anos na feira e espera que as vendas aumentem. “Ano passado eu vendi bem. Já existe uma procura grande e tenho expectativas de que as vendas crescerão. Os preços dos peixes da feira variam de R$ 6 à R$ 35, o Kg”.

Os supermercados também já estão preparados para a semana. De acordo com Ribamar Santos, representante da gerência do Supermercado Gonçalves, já foi vendido mais do que no ano passado. “Já suprimos as expectativas. Ano passado vendemos muito, mas neste ano já atingimos a meta de 30% de acréscimo nas vendas. Os preços estão baixos, fazemos uma pesquisa de mercado para manter o produto mais barato. Outros produtos também estão sendo vendidos”.

A rede do Supermercado Araújo também já iniciou as vendas. “Já estamos vendendo bastante. Ano passado foram muito boas às vendas e esperamos que aumentem. Além do peixe, vendemos muito o milho branco e amarelo para canjica e mugunzá, além dos ovos de páscoa”.

Vendedores do Mercado Elias Mansour afirmam que as vendas estão baixas

O tradicional Mercado Elias Mansour está sendo pouco procurado pela população. Apesar da grande oferta e preços baixos, a Central de Abastecimento (Ceasa) é uma grande concorrente do local.

De acordo com Raimundo Moreira, vendedor de peixes no mercado há 32 anos, a procura pelos produtos está pequena. “Vendi muito pouco em 2011. Antigamente, saía bastante, mas depois que foi criada a Ceasa, as vendas caíram bastante. Lá, era pra ser vendido no atacado, mas eles vendem por quilo. A população está toda indo pra lá. Não tenho grandes perspectivas para este ano”.

Aleluia Fernandes, vendedora há 15 anos, falou que a si-tuação está precária. “Eu estou só tendo prejuízo. As vendas estão muito baixas por causa da Ceasa. Eles baixam o preço e não temos nem como competir. Além disso, nossos clientes não têm um local pra estacionar. Se parar o carro aqui na frente, a pessoa é multada. A estrutura é ruim, por isso que eles procuram outro lugar. É melhor eles fecharem o mercado e levar a gente para a Ceasa também”, disse ela.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation