O melhor indicador

Louvável sob todos os aspectos, mas ao mesmo uma obrigação, esse esforço que a Secretaria estadual de Educação está empreendendo para se não zerar, pelo menos, diminuir a níveis minimamente aceitáveis o analfabetismo no Estado.

Segundo dados divulgados pela própria Secretaria, apesar de esforços realizados nos últimos anos, o número de analfabetos é ainda bastante elevado – mais de 16% da população, o que equivale ainda cerca de 40 mil pessoas.

Com todos os avanços tecnológicos que a sociedade dispõe, não se pode mais permitir que milhares de pessoas ainda permaneçam sem o acesso mais elementar e primário ao saber ler e escrever, tornando-se presas fáceis de todo tipo de exploração.

E neste esforço, age também acertadamente a Secretaria em procurar envolver a sociedade organizada, conscientizando-a e chamando-a a colaborar, abrindo portas de igrejas, clubes, empresas e outras entidades.

A sociedade também tem sua quota de responsabilidade por esses índices ainda vexatórios e precisa colaborar para diminuí-los, lembrando sempre que a educação, no seu sentido mais abrangente, é o melhor indicador de civilidade de um povo.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation