“Abelardo e o Curupira” é o novo livro de Enilson Amorim

Enilson Amorim sempre foi o maior amante do folclore acreano depois de Hélio Melo, prova disto é sua luta intensa em manter viva as lendas dos povos da floresta através das diversas manifestações da arte. Depois do sucesso de “Mapinguari a Lenda’’ obra lançada com apoio do Sesc nacional, o mestre Amorim nos traz de volta um mito amazônico que há muito tempo não víamos aparecer em nossas bibliotecas, e ao mesmo tempo ilustra com suas criativas imagens as lembranças das histórias contadas pelos nossos pais nos fazendo sorrir, chorar e ter medo ao mesmo tempo de desobedecer as leis da mãe da mata.
Quardo222
O livro intitulado “Abelardo e o Curupira” do jornalista e artista Plástico Enilson Amorim conta o encontro de um seringueiro caçador com o tão temido Curupira. A obra, financiada pela lei municipal de incentivo a cultura visa resgatar os mitos amazônicos e acima de tudo incentivar essas crianças a preservar os poucos animais que ainda existem, numa terra que o predador maior ainda é próprio homem.

Segundo Amorim “o livro é mais um presente as crianças de nosso Acre, que a maioria das vezes sofrem com a escassez deste tipo de literatura nas prateleiras de nossas bibliotecas. Além disto, precisamos mais de literatura que falem sobre nossas lendas e sobretudo ensinem de forma mitológica a prática da obediência pois assim como o Estado enquanto instituição tem suas leis e normas de conduta os povos das floresta também criaram seus códigos de conduta e regras baseados em seus mitos para assim sobreviverem harmoniosamente entre eles, comenta o escritor”.   

O lançamento está previsto para o mês de maio e o artista dedicou a obra para seu tio Raimundo Amorim que cortou seringa durante 50 anos e que segundo o autor é sua principal fonte de informações sobre os mitos amazônicos. O livro de literatura infantil  tem apoio exclusivo da Fundação Garibaldi Brasil e do Sesc-Acre além de outros financiadores. (Assessoria)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation