Governo recepciona haitianos no Parque de Exposições

Hatianos-12222Alívio, alegria e gratidão eram os sentimentos relatados pelo primeiro grupo de haitianos que chegou ao abrigo montado pelo Governo do Acre no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco, na madrugada de quarta-feira, 11. Durante a estadia estimada em 15 dias, o grupo contará com serviços de alimentação, higiene, acesso a internet, vacinação e vários tipos de exames e atendimento médico.

O primeiro grupo a chegar à Capital é formado por 32 pessoas – as mulheres são a maioria. Desses, apenas dois entendem o português e o espanhol e ajudam na comunicação entre os estrangeiros e a equipe formada para atendê-los. Na administração, a Diretoria de Humanização da Fundação Elias Mansour (FEM), com o apoio da Secretaria de Habitação (Sehab), Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan), Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds) e Polícia Militar do Acre.

“Esta é uma ação solidária do Governo do Estado com os haitianos, dando um tratamento digno a essas pessoas, que já sofreram bastante durante o período que aguardavam a liberação da fronteira no Peru. Aqui serão garantidos, além do alojamento, acesso à alimentação, saúde e documentação necessária para que eles possam seguir viagem em busca de oportunidades de trabalho”, destaca a diretora de Humanização, Elineide Medeiros.

Ela acrescenta que até domingo é esperada a chegada de mais 200 haitianos, que já  foram cadastrados pela Polícia Federal em Epitaciolândia. Ainda será realizado um cadastro socioeconômico para identificação da mão-de-obra, tendo em vista a manifestação de interesse para a contratação dessas pessoas por empresas de outros Estados. “É um grupo com especialidades diversas, tem havido uma busca relevante por parte das empresas, interessadas nessa contratação. Essa mediação tem sido feita pela Sejudh, e todo esforço está sendo concentrado para que a passagem dos haitianos pelo Estado seja realizada da melhor forma”, pontua.

Liberação da fronteira
Os estrangeiros estavam há três meses aguardando liberação da Presidência da República do Brasil na fronteira do Peru com a Bolívia. Segundo informações da Sejudh, a entrada foi restringida a esse grupo até que os ajustes a respeito das questões diplomáticas fossem realizados. O decreto federal de janeiro de 2012 autoriza a entrada de estrangeiros legalizados no país. A decisão visa proteger os haitianos da exploração por “coiotes” e exposição a condições subumanas durante o traslado até a fronteira com o Acre.

A partir de agora, a legalização dos haitianos poderá ser feita na embaixada brasileira da capital do Haiti, Porto Príncipe, evitando, assim, diversos transtornos. Por mês será realizado o cadastro de 100 pessoas que desejarem sair do Haiti com destino ao Brasil. Essa notícia alegrou o grupo que já residia no Brasil e ainda tem parentes em seu país de origem. (Lyslane Mendes/Assessoria Humanização)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation