Índios pedem a saída do diretor do Distrito Sanitário Indígena do Alto Rio Purus, Costa

Indios2804Índios de várias etnias se reuniram na manhã de anteontem, 26, no prédio da Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai), onde funciona o Distrito Sanitário Indígena do Alto Rio Purus. Eles propuseram a Raimundo Costa, diretor do distrito, que pedisse a sua exoneração do cargo.

Ninawá Huni Kui, liderança indígena, explicou o motivo do pedido da saída de Costa. “Viemos para uma reunião com o chefe do distrito. Estamos passando por diversas dificuldades pela falta de gestão. A cada dia a saúde nas aldeias se complica mais. Muitos tipos de enfermidades estão surgindo e queremos uma melhoria para a saúde dos povos indígenas. Há várias irregularidades e o Raimundo Costa não tem uma formação para nos atender. Sem contar também de decisões tomadas por ele, nas quais os pacientes do Juruá não podem ser mais atendidos aqui em Rio Branco. Protocolamos um documento no Ministério Público Federal com denúncias. Os responsáveis pelas mortes dos índios devem ser punidos”.

Francisco Siqueira, cacique da aldeia Apolima Arara, foi um dos proibidos de fazer tratamentos de saúde na Capital. “Em Cruzeiro do Sul, não há infectologistas suficientes para atender os pacientes indígenas. Muitos que estão na região do Juruá não têm atendimento. Com a decisão do Raimundo, fomos impedidos de fazer o tratamento na Capital. E não há nenhum motivo por isso. É perseguição”.

O líder informou que hoje eles irão a Brasília para uma reunião com Alexandre Padilha, ministro da Saúde. “Estamos indo conversar com o ministro da Saúde e com o presidente da Funai para fazer algo pela Saúde Indígena do Estado, repassando as informações. Está indo uma delegação de mais de 40 lideranças e estamos exigindo uma nova gestão para o distrito do Alto Purus, para que venha alguém para atender as nossas necessidades.  No ano passado, também houve a volta de R$ 1 milhão e 300 mil em recursos enviados pelo Ministério da Saúde, pela falta de execução do recurso”, finalizou Ninawá.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation