Sindmed/AC notifica planos e autoridades sobre paralisação do dia 25

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) notificou todos as operadoras de planos e seguros de saúde, os hospitais privados, o Ministério Público Estadual (MPE) e a Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) que os médicos realizarão uma paralisação de advertência na quarta-feira (25). A meta é reivindicar o pagamento do piso mínimo de R$ 80. Valor considerado ético pelas entidades nacionais.

Em todo o Estado, cerca de 300 profissionais cruzarão os braços, deixando de atender uma média de 500 consultas. Serão atendidos apenas os casos de urgência e emergência.

Toda ação, referendada em assembléia pelos médicos do Acre, conta com uma ampla campanha que ganhou os consultórios médicos e a rede social com críticas feitas as empresas que tentam interferir no trabalho do médico.

“Lutamos pela vida! Um plano e um seguro de saúde não podem interferir no trabalho do médico. Essas empresas querem impedir a solicitação de exames, o que é irregular”, confirmou o sindicalista.

Os médicos ainda reivindicam maior transparência das empresas que todos os anos aumentam os preços das mensalidades dos clientes, alegando alta nos custos, o que não ocorre.

“Os planos têm direito a reajuste anual concedido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, o que é feito sob a alegação de cobrir os custos com os reajustes, mas os médicos nunca receberam esses valores adicionais alegados”, detalhou Ribamar.

O sindicalista afirmou que o movimento é liderado pelas entidades médicas contra todas as operadoras de saúde.

“Essas empresas tentam enganar a população com propagandas e anúncios, cobrando preços altos pelos serviços, mas acaba desprezando o médico, assim muitos profissionais estão deixando de atender os convênios”, afirmou Ribamar.

A categoria defende a criação de uma clausula contratual que possa garantir o reajuste anual das consultas e procedimentos médicos, além de um piso mínimo de R$ 80, valor considerado pelas entidades nacionais.

“A paralisação acontece em todo o país, porque existem planos que querem pagar R$ 21 a consulta do médico, desmerecendo todo o cuidado oferecido ao paciente”, falou o presidente do Sindmed. (Assessoria)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation