Jorge Viana quer informações sobre investimentos de energia elétrica

O senador Jorge Viana apresentou ontem, 17, no plenário do Senado, requerimento pedindo informações ao Ministério das Minas e Energia sobre o plano de investimento do governo na rede de distribuição de energia de Rio Branco e do interior; a data de conclusão da segunda linha de transmissão entre Rondônia e Acre e da chegada, no Acre, da energia limpa das hidrelétricas do Rio Madeira.

Jorge Viana alegou que com o início das operações das hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, no Rio Madeira, previstas para o fim deste ano, não aceitará que seu Estado continue recebendo energia ruim e cara. Segundo ele, a tarifa cobrada pela Eletroacre é de R$ 0,41696, a mais cara dentre as 63 concessionárias do país, enquanto no Amapá, por exemplo, o preço da energia cobrada é de R$ 0,19.

“Não aceitamos que, com a contribuição das águas dos afluentes acreanos para geração de energia no Rio Madeira, o Acre continue refém de um mercado injusto, com um das tarifas mais caras do país e a oferta de energia da pior qualidade. Segundo ele, o que encarece a energia oferecida ao Acre é o custo do diesel. Cada   megawatt de energia é vendido a R$ 1.000, dos quais R$ 700 se devem ao custo do diesel”.

“Há anos eu luto por energia boa e barata em meu Estado. Em Rondônia, por exemplo, 1 megawatt custa menos de R$ 100. Não é possível que, com a entrada da nova linha de transmissão, o preço da energia no Acre não seja reduzido”.

Horas antes, em audiência na Comissão de Meio Ambiente do Senado, Jorge Viana havia questionado o ministro das Minas e Energia, Edson Lobão,sobre os prazos de operação das novas redes de distribuição entre o Acre e Rondônia.

O senador acreano disse ainda  que o Acre perde anualmente R$ 30 milhões de ICMS em razão da transferência da geração de energia para o Estado de Rondônia. Até o momento, o quadro é de insuficiência energética e de perda de arrecadação tributária, acrescentou. (Assessoria)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation