PT interpela Gladson Cameli na Justiça

O Partido dos Trabalhadores vai interpelar judicialmente o deputado federal Gladson Cameli (PP/AC) quanto às declarações de que as empresas da família Cameli contribuíram financeiramente com a Frente Popular durante as eleições de 2010. Tal afirmação, dada em entrevista a um blog, segundo os dirigentes petistas, se trata da mais pura fantasia. Por este motivo, a direção regional do PT está tomando medidas judiciais a fim de resguardar a sua imagem diante de tais inverdades.

Segundo o presidente regio-nal do PT, Leonardo de Brito, as doações recebidas pelo comitê financeiro da FPA, em 2010, podem ser acessadas a qualquer instante, por qualquer pessoa, através da internet, para que seja constatado quem são os doadores. “As prestações de contas do PT e de nossas campanhas são públicas e nelas não constam tais contribuições”, garante o dirigente.

Também sobre os motivos alegados, na mesma entrevista, para a saída do Partido Progressista da coligação Frente Popular, as lideranças da FPA afirmam não entender o que mais os integrantes do PP pode-riam reclamar, já que detinham a vice-governadoria, secretarias de estado e participação ativa nas decisões da coligação. Para Leonardo de Brito, Gladson saiu da FPA por ser um político carreirista que só pensa nos seus interesses pessoais. “Um parlamentar medíocre do baixo clero do Congresso Nacional”, completa.

O presidente do Partido dos Trabalhadores garante, ainda, que, embora Cameli tenha uma carinha jovem, é um dos maiores exemplos do que há de mais arcaico na política acreana. “Não nos assustamos que nessa entrevista tenha-se falado em dinheiro. Pois, para o Gladson, política e dinheiro se confundem. Tudo para ele tem um preço financeiro. Foi assim que se elegeu deputado. Com campanhas milionárias e suntuosas”, finaliza Leonardo.  (Assessoria PT)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation