Pular para o conteúdo

Sindicato dos Médicos visita hospitais do interior e detecta irregularidades

Após visitas em Xapuri e em Sena Madureira, o presidente do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed), Dr. José Ribamar, confirmou que irregularidades foram identificadas. Por exemplo, centros cirúrgicos estariam sem profissionais ou sem estrutura para realizar qualquer tipo de procedimento.

De acordo com o Dr. Ribamar, a realização de um concurso público seria uma boa alternativa para ajudar a suprir a falta de recursos humanos vivida, principalmente, pelos municípios acreanos. “Por exemplo, lá no hospital de Xapuri uma unidade grande de referência não tem centro cirúrgico do hospital, médico especialista e nem cirurgião. Já fizemos pedidos ao governo sobre a realização do concurso para suprir a carência de profissionais como cirurgião, obstetra, clínico, pediatra que é o mínimo para atender a população no interior. É o básico! Além de melhorias estruturais”, destaca o presidente.

Para conter a evasão dos profissionais, que ao receberem uma proposta melhor saem do Estado, o presidente sugere um plano de cargos e carreira aos profissionais. “Assim o médico vai poder ter segurança ao se fixar num município, por menor que ele seja”, afirma.

Em Sena Madureira, no hospital João Câncio Fernandes, há 2 salas de cirurgias e uma desativada, mas faltam profissionais especialistas como anestesistas. “O plantão funciona com apenas 1 médico, quando deveriam ser 2. A demanda é grande demais. Os pacientes não podem ficar esperando pelo atendimento”, explica Dr. Ribamar.

O programa do Governo Federal Mais Médicos não contempla urgência e emergência, infelizmente. Esse setor ainda é um gargalo do sistema público de Saúde, afirma o presidente.

Por outro lado – A Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) confirma que o centro cirúrgico do hospital de Xapuri está desativado, mas que os pacientes necessitados não deixaram de ser atendidos. Nestes casos, eles são transferidos pelo Samu para Rio Branco ou Brasiléia. E a falta de profissionais não se deve por falta de incentivo do governo, e sim por falta de interesse dos próprios médicos.

Sobre a situação em Sena Madureira, a Sesacre destaca que 2 médicos trabalham em regime de plantão e que os casos mais graves são trazidos para Rio Branco pelo Samu. Além disso, o programa Saúde Itinerante está no município realizando procedimentos em várias especialidades, confirma a Sesacre.

Segurança. Tem ou não tem? – Durante as visitas realizadas pelo Sindmed, os profissionais reclamaram da falta de segurança nas unidades de Saúde. Furtos e roubos já foram registrados dentro delas. “Queremos mais segurança para os profissionais e, consequentemente, para a população dentro das unidades”, destacou o presidente do sindicato.

Conforme a Sesacre, uma empresa de vigilância armada foi contratada e atua desde abril na segurança dos profissionais e de quem procura assistência médica. Enquanto isso, uma possível parceria com a Secretaria de Segurança deverá ser estabelecida para reforçar esta atuação.