Pular para o conteúdo

Por 13 a 3, Câmara de Rio Branco aprova projeto e congela passagens de ônibus

No início da tarde de ontem, prefeito Marcus Alexandre recebeu a informação de que o projeto de lei do Executivo que trata do congelamento da tarifa de ônibus em R$ 2,40 foi aprovado na Câmara de Vereadores por 13 votos a favor e três contra.

Com a aprovação da Câmara, a passagem fica congelada em R$ 2,40 até novembro de 2014, prazo de encerramento dos atuais contratos com as empresas de transporte coletivo da Capital. A medida vai exigir uma sangria de R$ 3,8 milhões que deixam de ser arrecadados por meio da cobrança do ISS das empresas.

“O contrato com as empresas é de 2004, anterior à gestão de Angelim, diz que todo investimento no sistema requer revisão da tarifa e essa foi a maneira foi a maneira de trazer mais ônibus sem cobrar mais nada por isso”, analisou o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre. Como as empresas vão deixar de pagar parte do ISS, há o compromisso de que elas invistam R$ 7 milhões no sistema viário, o equivalente a uma frota de 25 novos ônibus.

Descaso na Segurança Pública
A sessão na Câmara de Rio Branco destinou o pequeno e grande expediente desta quinta (3), a pedido por meio de requerimento do vereador Marcelo Jucá (PSB) para tratar com lideranças de bairros, instituições e representantes de categorias ligadas a segurança publica para debaterem a respeito do policiamento realizado na Capital. Infelizmente não compareceu o comandante da Polícia Militar e nem o da Polícia Civil.

“Isso parece um descaso do poder público não só com os vereadores que representam diversas pessoas dos bairros de Rio Branco, mas com toda uma população que deseja obter informações a respeito do trabalho que é desenvolvido em nossa cidade. Mas ao que parece, eles não tem muito a dizer, pois nem representantes ou justificativa enviaram ao parlamento municipal”, enfatizou o vereador Marcelo Jucá.

A mesa diretora quebrou o protocolo e abriu os microfones para as lideranças comunitárias que se encontravam na presente sessão. Para o presidente de bairro do Boa União, a polícia não tem eficiência no trabalho e não tem respeito com a população.  echoua

Os 17 vereadores estarão encaminhando às 2 instituições policiais um ofício falando a respeito do que foi debatido entre os presentes e estipulará um prazo para apresentarem as respostas. (Agência Ideia)