Pular para o conteúdo

Geraldo Pereira diz que PSDB não tem moral para falar de mensalão; e Rocha se defende

O líder do PT na Aleac, Geraldo Pereira, voltou a ressaltar o caso do mensalão mineiro. Disse que o PSDB não tem ‘consciência moral’ para fazer julgamentos sobre o mensalão petista. Ele trouxe à tona que deputados ligados ao governo de Fernando Henrique Cardoso foram cassados por comprarem votos para o governo tucano, à época.

“Por que deputados perderam mandatos? Se houve compra de votos, houve quem os vendesse. Se houve corrupto, houve corruptor. E agora o PSDB vem querer dar lição de moral?”, questionou o deputado petista.

Ele também disse não entender o porquê o STF ainda não julgou o caso do mensalão mineiro e o porquê houve desmembramento no processo. Para ele, todos os indiciados deveriam ser julgados no STF e não na esfera estadual, como versa parte do processo que investiga desvios de verbas públicas para beneficiar Eduardo Azeredo (PSDB/MG).

“Se é para fazer justiça, tem que caminhar no seu tempo. Se têm errados, que respondam por seus erros. Agora o PSDB vir dar lição de moral? Isso é o cúmulo do absurdo”, finalizou.

O líder do PSDB na Casa, deputado Wherles Rocha, se defendeu dizendo que não se justifica o que aconteceu no PT. Ele esclareceu que o PSDB, diferente do PT, não tem promovido seus indiciados em ‘heróis’.

“Não fizemos ninguém de herói, como o PT. Digo que a minha repugnância será a mesma, se caso forem detectados casos de corrupção”.