Pular para o conteúdo

Haitianos superlotam delegacia do trabalho em Rio Branco

Col 1 Foto delegadaA Delegacia Regional do Trabalho no Acre encontra dificuldade para atender haitianos que deixam o abrigo em Brasiléia por conta própria e chegam a Rio Branco para obter a carteira de trabalho.

Conforme a delegada substituta do Trabalho no Acre, Maria Bonfim, pelo menos 70 refugiados por dia estão chegando à DRT Acre em busca do documento e emperrando o sistema de emissão.

“Pelo acordo feito entre o Governo do Estado e o Governo Federal, os imigrantes que entrassem no país pela fronteira do Acre com o Peru deveriam, obrigatoriamente, ser atendidos em Brasiléia, onde há quatro funcionários do órgão para a emissão dos documentos”, relata Bonfim.

Para driblar as filas em Brasiléia, os refugiados estão pegando táxis e vindo à Capital, na esperança de ser logo atendido.

“Esta condição, no entanto, causa ainda mais problemas para eles mesmos, porque não temos como atender a toda esta demanda”, explica a delegada. “Eles estão quebrando a norma e causando transtornos também para os trabalhadores locais que não conseguem ser atendidos”.

Por conta disso, muitos dos refugiados estão tendo que retornar para a fronteira sem o documento, segundo o órgão.  (Foto: Cedida)