Pular para o conteúdo

Iluminação pública avança com ações permanentes de implantação e manutenção em toda a Capital

A demanda por iluminação pública em Rio Branco   vem sendo atendida através da  política de implantação e manutenção  de pontos iluminados  conduzida pela prefeitura nos nove últimos anos. Desde que o prefeito Marcus Alexandre assumiu o cargo  já foi realizada manutenção em 22.937 pontos em toda a cidade.  Levantamento realizado em 2012 mostrou que em Rio Branco havia 31.000 pontos de iluminação, mas a cidade é dinâmica e não para de crescer.

Mas não é só isso, em 2013 foram implantados 316 novos pontos de iluminação pública. Este ano,  até a metade  de fevereiro já são 76 novos pontos. “São pontos em ruas que foram abertas em bairros novos ou onde não havia iluminação”, explicou Wilton Marques, diretor  da Divisão de Iluminação Pública da Secretaria Municipal de Obras Públicas.

A DIP atendeu a 3.877 pedidos da comunidade no ano passado. Em 2014, até a atual data de fevereiro, são 994 pedidos. E sempre que precisar, qualquer morador de Rio Branco pode recorrer ao telefone 2106-8013 para registrar a demanda.

Nada menos que 108 praças e rotatórias receberam um ostensivo trabalho de manutenção de suas luminárias. A iluminação pública, lembra Wilton Marques,  é essencial à qualidade de vida, proporciona mais segurança para a população,  e atua como instrumento de cidadania, permitindo com que as pessoas desfrutem, plenamente, do espaço público no período noturno.

 Mais cidadania
Além de estar diretamente ligada à segurança pública no tráfego, a iluminação pública ajuda a prevenir a criminalidade, embeleza as áreas urbanas, destaca e valoriza monumentos, prédios e paisagens, facilita a hierarquia viária, orienta percursos e aproveita melhor as áreas de lazer. Os órgãos de segurança acreditam que uma boa iluminação  pública ajuda a reduzir em até 20% a incidência de crimes em determinada região.

A melhoria da qualidade dos sistemas de iluminação pública traduz-se em melhor imagem da cidade, favorecendo o turismo, o comércio, e o lazer noturno, ampliando a cultura do uso eficiente e racional da energia elétrica, contribuindo, assim, para o desenvolvimento social e econômico da população.