Mais de 50 pessoas ficaram trancadas na Secretaria de Saúde Indígena por ordem de Diretor

 Na manhã da última segunda-feira (10), cerca de 50 pessoas – entre índios, funcionários e membros da imprensa – foram trancadas e impedidas de sair pelo portão da Secretaria Especial de Saúde Indígena, após a imprensa ter sido chamada, o que teria desagradado o coordenador distrital do Distrito Alto Purus da Secretaria Especial de Saúde Indígena, Raimundo Costa.
O presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Alto Purus (Codisi), Sabá Manchinery, afirma que os índios estavam reunidos no local a fim de discutir sobre o fechamento das unidades pertencentes aos órgãos de saúde indígena e que a imprensa foi chamada para fazer a cobertura da mobilização.

 Assim que membros do conselho e da imprensa adentraram no local, o portão foi fechado, por volta de 9 horas. Por volta de 11:30 horas, a Polícia Federal chegou ao local e o portão foi reaberto.

 Segundo versão de Raimundo, o portão já estava sendo mantido fechado em função da evidência de invasão indígena, e Sabá teria ordenado aos índios que permanecessem no local.
Ele afirma, ainda, que três pólos estão ocupados indevidamente pelo Codisi, e esclarece que a insatisfação se dá por causa de pedidos não atendidos pela secretaria, como a criação de coordenação de pólos, liberação de veículos e o pagamento de diárias indevidas.

 No interior do recinto, os funcionários estiveram tranquilos. Eles contaram que outros episódios similares tiveram lugar em aldeias e em outras sedes relacionadas à política indígena.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation