Pular para o conteúdo

Sindicato das empresas de combustível garante normalidade no comércio de gás

O Sindicato das Empresas de Combustível assegurou que o comércio de gás está normal no Acre. “Por enquanto, a comercialização de gás está normal”, garantiu o presidente do Sindicato das Empresas de Combustível no Acre, José Magid.

De acordo com o presidente, o que diminuiu foi o fluxo de caminhões. “Mas, os carros estão vindo, mesmo pela BR”, disse. “Mas, o ritmo está mais lento, sem dúvida”.

A Fogás, empresa que está presente nos mercados do Amazonas, Acre, Rondônia, Pará e Roraima, soltou uma nota na terça-feira informando das dificuldades de operação da unidade de Porto Velho, em função da alagação porque passa a cidade.

A unidade da empresa foi atingida pelas águas do Rio Madeira e já compromete a escala de produção. “Estamos com equipes técnicas de Manaus trabalhando juntamente com nossos colaboradores de Porto Velho para manter a atividade operativa enquanto garantirmos a segurança da operação”.

Não está descartada a interrupção do envasamento do gás liquefeito, caso o nível das águas continue subindo. “Não sabemos precisar o dia em que teremos que interromper a atividade produtiva e de distribuição de gás liquefeito de petróleo aos nossos Clientes e Revendedores, tanto da Capital quanto do interior do Estado de Rondônia e do Estado do Acre, se o rio continuar enchendo na proporção dos últimos dias”.

No Acre, a Fogás é a única empresa em operação no segmento. A unidade de Porto Velho é a responsável pelo envasamento. Caso haja alguma interrupção no fornecimento, toda a população estaria com o abastecimento comprometido.

A FOGÁS INFORMA

A enchente sem precedentes do Rio Madeira prejudicou radicalmente as atividades de várias áreas empresariais da cidade de Porto Velho, entre elas as atividades da FOGÁS.

A nossa planta de envasamento de gás encontra-se tomada pelas águas, em volume que ainda está nos permitindo produzir e distribuir com segurança e efetividade.

Estamos com equipes técnicas de Manaus trabalhando juntamente com nossos colaboradores de Porto Velho para manter a atividade operativa enquanto garantirmos a segurança da operação.

De domingo, 16, para segunda-feira, 17, o Rio Madeira encheu em quantidade de água que já nos aponta um limite para interromper a produção e as atividades a despeito de termos estoques de produto suficientes para atender toda a demanda.

Não sabemos precisar o dia em que teremos que interromper a atividade produtiva e de distribuição de gás liquefeito de petróleo aos nossos clientes e revendedores, tanto da Capital quanto do interior do Estado de Rondônia e do Estado do Acre, se o rio continuar enchendo na proporção dos últimos dias.

A FOGÁS e seus colaboradores não vêm medindo e não medirão esforços para manter operativa sua planta de Porto Velho e somente interromperá se as condições de enchente determinar a paralisação.

Diante deste quadro, decidimos trazer gás envasado de Manaus para assegurar a oferta do produto aos nossos clientes.

Agradecemos a compreensão de nossos clientes e das autoridades deste Estado.

Porto Velho, 17 de fevereiro de 2014.

A Diretoria