Pular para o conteúdo

Taxista é preso por transporte ilegal de senegaleses no Acre

taxistasenegalesesUm taxista foi preso em Brasileia, na tarde desta quarta-feira (5), após ser flagrado pela Polícia Federal transportando seis senegaleses que tentavam entrar de forma ilegal no Brasil. De acordo com o delegado de PF em Brasileia, Sávio Accioly, o grupo pagou cerca de 300 dólares, em torno de R$ 720,00 pelo transporte, que geralmente é custeado em R$ 120,00.
O delegado explicou que o taxista foi até a cidade de Antares, fronteira do Brasil com o Peru, e cobrou dos imigrantes uma quantia para que ele os transportassem de forma ilegal até a cidade de Brasileia, onde fica o abrigo dos imigrantes.

“Esses imigrantes precisam de visto para entrar no Brasil, devem se apresentar à Polícia Federal como qualquer outro estrangeiro para fazer os trâmites legais de imigração, mas o taxista mesmo sabendo disso foi lá e escondido transportou os seis senegaleses. Isso é petrificado como crime no Estatuto do Estrangeiro”, ressalta o delegado.

 Ainda de acordo com Accioly, o taxista transportava seis pessoas em um carro com capacidade para quatro, ou seja, o motorista também andava com excesso de lotação. “O taxista recebeu 300 dólares, uma corrida normal da fronteira para Brasiléia é R$ 120,00”, diz.

 O taxista foi liberado após pagar fiança no valor de R$ 3 mil e, segundo o delegado, deve responder pelo crime em liberdade. Os 6 senegaleses foram encaminhados para o abrigo de Brasiléia e devem pedir refúgio ao Brasil. Para os imigrantes e a quem pretende ajudar esta entrada ilegal, o delegado deixa um alerta.

“Todo estrangeiro que entrar no Brasil precisa obrigatoriamente passar pelo posto mais próximo da Polícia Federal e estamos fazendo operações para barrar a entrada de imigrantes ilegais. Hoje, os senegaleses são os que mais tentam entrar ilegalmente no país”, explica.