Pular para o conteúdo

“Eu não faço jogo duplo”, afirma Luís Tchê

fototche02052011O deputado José Luís Tchê (PDT) explicou a sua expressão de que o Acre poderia ser devolvido à Bolívia, tendo em vista o descaso que a presidenta Dilma tem com o Acre. Segundo Tchê não tinha intenção de polemizar o assunto, mas sim trazer ao debate a questão do pagamento da dívida do Estado com a União e como o Governo Federal vê o Acre.

Tchê também afirmou que não faz jogo duplo na política. Disse, ainda, que talvez esse seja seu ‘erro’ e o motivo de ser mal interpretado. O parlamentar falou sobre os comentários de que o PDT iria aliar-se ao bloco de Márcio Bittar. Ele esclareceu que teve uma conversa com o deputado federal, Márcio Bittar (PSDB/AC), ano passado e que ele, Márcio, também manteve diálogo com o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, mas que as conversas eram apenas ‘cordiais’, o que ele classifica como normal na política.

“O senhor Márcio Bittar conversou comigo no ano passado. Talvez eu não dê certo na política porque eu sou muito reto. Talvez esse meu erro. Eu não faço jogo duplo”, disparou José Luís Tchê.

A expectativa de Tchê é formar uma aliança com o PCdoB e que este abra mão de lançar candidatos a federal. O deputado, em conversas anteriores, afirma que o PDT deveria ser compensado por abrir mão da chapa majoritária e permitir que a deputada federal Perpétua Almeida dispute o Senado. Entretanto, o deputado Moisés Diniz (PCdoB) afirma que não abre mão da vaga, pois foi homologada pelo seu partido.

“Eu sou pré-candidato a deputado federal. Isso já está decidido pela direção estadual. Nosso diálogo com o deputado Tchê será republicano”, ressaltou Moisés Diniz nos bastidores.