Pular para o conteúdo

Henrique Afonso deixa bloco liderado por Bittar e se une com Tião Bocalom e Roberto Duarte Júnior

 Depois de não conseguir emplacar a sua pré-candidatura a governador pelo bloco dos deputados federais Márcio Bittar (PSDB/AC) e Gladson Cameli (PP/AC), o deputado federal Henrique Afonso (PV/AC) anunciou que deverá manter aliança com o bloco de Tião Bocalom (DEM).

 A decisão foi tomada em plenária realizada na última quinta-feira, 27, pelo Partido Verde, e foi confirmada na noite de ontem, 28, na sede do Democrata, em Rio Branco. O estopim da ruptura do PV com o PSDB e o PP foi ativado quando informações vazadas à imprensa afirmaram que o PMDB lançaria o vice de Márcio na disputa.

 Segundo a presidenta do PV, Shirley Torres, o partido foi convidado para compor a chapa majoritária encabeçada por Bittar na condição de ter o vice ou mesmo disputando o cargo de governador. Como isso não ocorreu, ela argumenta que seria melhor o partido buscar outra alternativa viável para aportar a candidatura de Henrique Afonso.
O deputado Henrique Afonso comentou que continuará fazendo alianças e que o jogo ainda não terminou. Para ele, um possível entendimento com outras correntes oposicionistas, como uma suposta coordenada pelo senador Sérgio Petecão (PSD/AC).

“Iremos caminhar com o DEM de Tião Bocalom e continuaremos construindo alianças para as eleições de 2014. Já estávamos com o pé na estrada e agora vamos intensificar nossa jornada por todo o Acre, levando a toda a nossa população a nossa proposta de programa de governo”, disse o parlamentar ‘verde’.

 O desentendimento na oposição parece não ter fim. Para piorar a situação do bloco liderado por Márcio Bittar, o prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (PMDB), anunciou que disputará o cargo de governador. Todo este desentendimento fragiliza a eleição de Gladson Cameli (PP/AC), pré-candidato ao Senado Federal, que terá como concorrente na disputa ao cargo Perpétua Almeida (PC do B/AC).