Novo cemitério será construído em área de 20 hectares na Transacreana

Projeto do novo cemitério está orçado em R$ 18 milhões
Projeto do novo cemitério está orçado em R$ 18 milhões

O prefeito Marcus Alexandre informou, durante vistoria à ação de limpeza dos cemitérios da cidade, mais detalhes sobre o novo cemitério de Rio Branco. Ele será construído em uma área de 20 hectares localizada no km 6 da Estrada Transacreana, em frente ao Cemitério Cruz Milagrosa. O projeto está orçado em R$ 18 milhões, que compreende os estudos e sondagens de solo, além dos devidos licenciamentos.

A expectativa da prefeitura é de começar as obras para o novo cemitério em 2015. Já o tempo de utilização, a ideia é de que o local atenda as demandas de Rio Branco pelos próximos 25 anos, contados a partir do momento da sua inauguração. Durante este período, a prefeitura ainda está estudando qual será o modo de administração do lugar. Pode ser inteiramente público ou pode ser através da parceria público-privada.

Atualmente, a prefeito Marcus Alexandre disse que já foi iniciado um estudo geológico ambiental para avaliar bem o terreno do projeto. O estudo é bem complexo, uma vez que a área que recebe um cemitério nunca mais poderá ser usada para nenhum outro tipo de finalidade. A prefeitura já está trabalhando no edital e deve lançar a licitação do novo cemitério no começo do próximo ano.

O local será arquitetado de forma bem limpa, como se fosse um ‘grande jardim’, tendo apenas uma construção central para velórios e administração. As identificações dos túmulos não serão feita com nenhuma construção ou monumentos. Serão permitidas apenas placas com os dados da pessoa enterrada, feitas com bronze ou outros materiais.

A capital acreana vai ganhar este novo cemitério para atender a demanda de pessoas que morrem, uma vez que os cemitérios já existentes na cidade estão com sua capacidade quase saturada. O primeiro cemitério público de Rio Branco foi o São João Batista, construído em 1909 e onde já foram feitos 35,3 mil sepultamentos. O último deles foi o Jardim da Saudade, que tem quase 30 anos e já fez 19,2 mil sepultamentos. (Com informações da Ascom PMRB/ Foto: Ilustração)

Assuntos desta notícia