Gazetinhas 04/11/2014

* Doce novembro…

* Que seja doce mesmo, porque de amargura a vida já tá cheia.

* A propósito, que notícia alarmante, triste esta sobre um estudante do Colégio Meta, baleado durante um assalto, na saída da escola…

* De acordo com testemunhas, o adolescente de 17 anos teria reagido à ação de marginais, que tentaram lhe roubar o celular.

* Apesar do ferimento não ter sido grave, é bastante grave e preocupante toda circunstância envolvendo o caso.

* Mesmo porque não é a primeira vez que ocorre uma tentativa de assalto com um aluno da instituição, nas redondezas do bairro Abrahão Alab.

* Crimes envolvendo crianças e jovens sempre nos causam choque e indignação…

* Nas proximidades de uma escola, então, lugar que deveria ser considerado seguro, resguardado, blindado até…

* É impossível não se comover e se colocar no lugar de um pai ou mãe de um menino como este.

* Alô, polícia! Alô, secretário de Segurança!

* Socorro! Tem que ver isso aí.

* E, se desgraça pouca é bobagem, lá vem a Aneel com a infame notícia sobre o aumento nas tarifas de energia elétrica, a partir deste mês.

* O percentual sobre o aumento só será divulgado no dia 20, mas já começará a valer a partir do dia 30.

* Segundo o presidente da Eletrobras-Acre, o reajuste é calculado considerando as condições locais, gastos com compra de energia e programas sociais e investimentos.

* No caso do Acre, que está em 4º lugar no ranking das tarifas mais caras do país, são levados em conta, entre outros fatores, a densidade demográfica e a dificuldade de acesso a locais mais distantes, que aumentam o custo operacional.

* E as constantes falhas no serviço, os incalculáveis prejuízos da população com os picos de energia e apagões no Estado? São considerados também, senhor presidente?

* Tá errada essa conta aí, viu?

* E corda sempre arrebenta do lado mais fraco.

* Muito movimento nos cemitérios da cidade, nas homenagens aos finados, no último domingo.

* E é impressionante como existe oportunista pra tudo neste mundo, né?

* Pois vejam que, enquanto o bom padre Mássimo rezava sua missa, glorificando a ressurreição e a vida eterna, dois outros grupos distribuíam panfletos com promessas um tanto inusitadas:

* Um deles, de uma famosa igreja evangélica, conhecida pelas obras suntuosas, contava o relato de um “fiel” que, após começar a frequentar o referido templo, conquistou rapidamente um patrimônio de R$ 8 milhões!

* Arre! Será que o cidadão começou a plantar aquela arvorezinha do dinheiro?

* O outro convidava, às segundas-feiras, para reuniões sobre “crescimento financeiro”; e, às terças, para conquista do “milagre urgente”.

* Tô precisando dos dois. E tu, leitor?

* Ririri.

* É cada uma, que só Jesus na causa mesmo.

Assuntos desta notícia