Nível do Rio Madeira oscila e chega a ficar a 50 cm de atingir a BR-364

Em 12 de fevereiro do ano passado, o Rio Madeira atingia a BR-364 e colocava milhares de famílias em situação de isolamento. Desde então, os acreanos, que ficaram sem acesso via terrestre a outros locais do Brasil, temem uma nova cheia que possa causar o desabastecimento na região.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Calos Batista, o nível do Rio Madeira está oscilando muito e chega a ficar entre 50 centímetros e 80 cm de atingir a estrada. No entanto, esses números tem se mantido assim durante os últimos 30 dias. “De segunda-feira para quarta, o Rio Madeira baixou três centímetros, mas logo voltou a subir”, exemplificou sobre o processo de oscilação.

O coronel Batista apontou ainda que deve chover mais do que o esperado até o final deste mês no Rio Beni, na Bolívia, principal afluente do Rio Madeira. Com isso, ele antecipou uma elevação no nível das águas.

“É possível que ainda este mês, o rio atinja a BR-364. Não descartamos a possibilidade, pois a previsão é de mais chuvas para os próximos dias”, alertou Batista.

Apesar disso, o coordenador da Defesa Civil do Estado afirmou que o volume de chuvas deste mês é inferior ao mesmo período do ano passado.

Equipes do Corpo de Bombeiros estão no local para monitorar e analisar a situação dos trechos mais críticos duas vezes ao longo do dia.

Segundo o coronel Batista, diante disso, o maior diferencial tem sido o preparo dos órgãos. “A Defesa Civil do Acre e de Rondônia, o Corpo de Bombeiro e o Dnit já fizeram os seus planos de contingência. Estamos preparados para uma possível nova cheia. O Dnit já realizou contatos com empresas para garantir a travessia dos caminhões caso seja necessário. E, além disso, o governador do Acre está muito sensível com a situação”, declarou.

Assuntos desta notícia