Dilma pede ‘desperdício zero’ e diz que aumento na conta de luz é passageiro

Dilma fez pedido durante solenidade no Rio Grande do Sul
Dilma fez pedido durante solenidade no Rio Grande do Sul. (FOTO: ROBERTO STUCHERT FILHO PR)

A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta sexta-feira, 27, o consumo ‘racional’ de energia no país. Para ela, é preciso buscar o ‘desperdício zero’ e garantir a diversificação das matrizes energéticas para garantir a “segurança” do país.

Dilma participou na tarde desta sexta de cerimônia de inauguração do Parque Eólico de Geribatu e Sistema de Transmissão Associado na cidade de Santa Vitória do Palmar/RS.

“A gente tem de defender o atual papel do consumo racional de energia. Consumo racional de energia é aquele que significa não desperdiçar. Desperdício zero”, pediu a presidente.

“Então, diversificação da matriz mais desperdício zero é a garantia de segurança do país. A nossa parte [do governo] é garantir oferta: termelétrica, eólica, biomassa, hidrelétrica. A parte do cidadão é buscar não desperdiçar energia”, completou.

Segundo Dilma, os aumentos no preço das contas de energia são “passageiros” e foram motivados pela crise hídrica em que o país se encontra. “Agora, isso também não significa que nós vamos sair por aí jogando energia pela janela e não consumindo de forma racional”.

“Eu quero explicar que os aumentos nos preços da energia são passageiros. Eles estão em função do fato que o Brasil enfrenta a maior falta de água dos últimos 100 anos. Isso não significa que nós vamos ter qualquer problema sério ou mais sério na área de energia elétrica”, explicou.

Ao defender o “desperdício zero”, a presidente afirmou que a energia é gerada no país por meio do dinheiro do contribuinte e pediu que a população não jogue o dinheiro “pela janela”.

“Desperdício zero é um compromisso de não jogar fora pela janela esse dinheiro, que é suado pelo povo brasileiro”, afirmou.

A presidente também disse ter “lutado muito” pela segurança energética do Brasil, e destacou que garantir o fornecimento de energia deve durar o ano inteiro. “Essa garantia não é de dez minutos, duas horas, ela é 24 horas por dia, 365 dias por ano. Até porque tem aquela fala: faça chuva ou faça Sol”, completou. (Do G1/Brasília)

Assuntos desta notícia