Amarras eleitorais

Corrupção. Todo mundo está cansado de ver isso. Quando é em época de eleição, é pior ainda. E é diante deste cenário que o povo brasileiro clama por uma reforma política com urgência. A população quer novas leis, menos defasadas e mais punitivas para os bandidos eleitoreiros.

É verdade que a tal reforma política é um passo para que as pessoas sintam uma sensação maior de justiça. Só que as propostas para este novo conjunto de leis eleitorais têm que vir para mudar a sujeira do jogo político, e não o jogo em si. O objetivo é acabar com as brechas e facilidades às quais políticos desonestos tentam forjar e comprar votos. Não acabar com as eleições.

Este projeto para tentar acabar com o horário destinado a propaganda política em rádios e televisões, por exemplo, desvirtua a ideia do pleito eleitoral. Campanhas devem ser feitas com responsabilidade e com propostas. E isso tem, sim, que cair no conhecimento do povo. As pessoas, enquanto eleitores, precisam saber em quem estão votando. Quais as propostas do seu candidato. As propagandas em rádio e TV são fundamentais para isso.

O que a Justiça tem que fazer é punir aqueles que cometem crimes eleitorais brandos e prender aqueles que passam dos limites. Isso, sim, acabaria com quem tenta manipular eleições. Tentar torná-las em um campo minado do silêncio, onde ninguém pode dizer nada, não é o caminho.

Assuntos desta notícia