Assuma a responsabilidade por suas escolhas

Olá!

Tudo bem?

Hoje chego até você, meu amigo, minha amiga, falando sobre um tema muito utilizado e pouco refletido entre nós: escolhas.

Muitas pessoas justificam suas escolhas imaturas,  inadequadas e até mesmo erradas, sua personalidade difícil e comportamento inconsequente, apontando para os seus pais ou outras pessoas presente em seu passado ou no mundo atual.

É bem mais fácil encontrar e  apontar culpados, não é mesmo?

Mas, me diz uma coisa: até quando você se prenderá ao passado? Até quando responsabilizará outros por suas escolhas insensatas?

Até quando permanecerá olhando para trás? Olhando fixamente pelo retrovisor que insiste em te mostrar e lembrar cenas, episódios tristes, dolorosos, frustrantes, que impede você de seguir em frente sem mágoas, revoltas e raiva.

Sabe meu amigo, eu lamento te informar que nada mais pode fazer para mudar o passado, pois o passado passou. Não existe máquina do tempo. O que aconteceu, aconteceu!

Mas não desanime!  Você pode conseguir que ele não mais influencie o seu presente.

Como assim Claudia?

Conheça-se! Desprenda-se! Aprenda a perdoar!

Assim terá compreensão do passado e domínio do presente.

Reflita sobre as escolhas que precisa tomar sem afetação, cobranças, culpas ou algum tipo de sentimentalismo. Seja firme! Suas escolhas precisam ter sua cara, sua forma de ver o mundo e andar nele. Por isso, deve vir de você. Somente de você!

Então, puxe a âncora! Deixe o barco seguir em frente. Existe outros mares e portos que você precisa conhecer, descobrir novas belezas e se defender de outros males ou problemas que certamente surgirão.

Afinal de contas, este é o lindo processo da vida!

Na maioria das vezes, não estamos realmente preparados para os altos e baixos da vida, para os erros  provenientes de nossas escolhas. Mas podemos aprender a administrar nossas emoções, enfrentando e assumindo  as consequências pelas escolhas  erradas que foram feitas, sem precisarmos usar outros como justificativa para nossas dores e desapontamentos.

Entenda e admita que se você vive hoje as dores de escolhas imaturas. O único responsável é você! Foi você que aceitou, resolveu, deu o passo e disse sim! Seja responsável pela escolha feita.

Precisa aprender e assim deixar de culpar: seus pais, família, amigos, seu cônjuge, governo, o país, a cidade que mora, o estado que vive, a Deus e a seus problemas emocionais.

Eu sei que é chato o que vou falar, mas: liberte-se do orgulho, da teimosia e da rebeldia!

Pare de olhar de forma tão egoísta pra você mesmo, colocando-se em posição de vítima, de coitadinho.

O que acha de pensar, refletir bem antes de fazer escolhas?

E caso não tenha feito a melhor escolha,  pare de se cobrar tanto!

Você é um ser humano, imperfeito neste sentido. Sujeito a errar. Afinal, estamos aqui para aprender. Então, aceite os erros cometidos. Faz  parte da construção humana. Esta é a realidade. Veja tudo isso como uma oportunidade para mudar, transformar. Estamos aqui para desenvolver e evoluir.

Quantos conflitos interpessoais, inclusive  mal entendidos evitaríamos se assumíssemos as escolhas feitas por nós e suas consequências!

Não envolveríamos e nem magoaríamos pessoas, não criaríamos intrigas, nem contribuiríamos com fofocas e demais mal-estar.

É, meu amigo, minha amiga, me desculpem, mas está na hora de mudar e crescer, de fazer e pensar diferente, de olhar mais para si mesmo, admitir sua imaturidade e irresponsabilidade diante das escolhas. Está na hora de andar sozinho, sair da barra da saia da mãe e da barra da calça do seu pai. Faça seu caminho. Escreva sua própria história e seja o protagonista dela. O palco de sua vida pertence único e exclusivamente a você.

Dê-se o direito de errar e busque aprender com seus erros. Torne-se mais consciente dos seus atos, das palavras ditas e atitudes tomadas. Você pode fazer e ser diferente sem fugir ou agredir a sua natureza. Não tenha medo, você precisa desse mecanismo de defesa, no entanto, não permita que ele o domine, mas  que o estimule a buscar a perfeição sem pressa, sem atropelos, dando um  passo de cada vez, olhando para dentro de si em uma busca constante, incansável.

Desenvolva a humildade, quebre o self e descubra que é possível ser feliz quando nos desprendemos das mágoas, assumindo nossos erros por escolhas feitas por nós mesmo.

Um grande abraço!

*Claudia Correia é psicóloga Clínica e Organizacional; terapeuta individual, casal e família; sócia diretora do Spa Terapêutico; consultora Comportamental e Empresarial; professora de Oratória; palestrante; apresentadora; membro da Academia Maceioense de Letras e comendadora.
E-mail:[email protected]
Facebook: Claudia Correia de Melo

Assuntos desta notícia