Uma indústria em expansão

Na última semana, a  Divisão de pesquisa e estatística da Secretaria de Estado e Turismo do Acre apresentou os números do setor oriundos do feriado da Semana Santa. Os quantitativos foram baseados em dados de embarque e desembarque da Infraero e das empresas de ônibus intermunicipais, do departamento de Tributos da Prefeitura de Rio Branco e da rede hoteleira, por meio do Cadastur – Sistema de cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam na cadeia produtiva do turismo, e mostram que o setor está em expansão.

Segundo levantamento, tivemos 3.768 pessoas se deslocando dentro do Estado do Acre, aquecendo o turismo interno, outras 2.366 pessoas desembarcaram no Acre no mesmo período. Tivemos ainda 1.941 pessoas se hospedando nas cinco cidades acreanas avaliadas, Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri. Desta forma apenas o setor hoteleiro gerou R$ 227.097,00.

Para o Ministério do Turismo – MTur, os números são ainda maiores, algo em torno de R$ 10 milhões de reais que impactaram a cadeia produtiva do turismo acreano no último feriado prolongado. Essa diferença se dá porque o MTur considera outros setores da cadeia produtiva, além da rede hoteleira, e outros municípios acreanos. A Fundação Getúlio Vargas, responsável pela projeção apresentada pelo Ministério, também analisa, além dos deslocamentos por avião e ônibus, os realizados em carros particulares, o que enfatiza essa diferença.

Em 2014, somente em Rio Branco, o setor de turismo foi responsável por 1,5% do Imposto Sobre Serviços de qualquer natureza (ISSQN) gerados, isso sem levarmos em conta o ISSQN das agências de viagens e eventos, que utilizam o Simples Nacional. Nesse período foram gerados pela indústria do turismo, em Rio Branco, R$ 16.811.949,60, o que totaliza R$ 840.597,48 em ISSQN gerados na Capital.

No Brasil, de acordo com novos dados divulgados pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), o setor movimentou R$ 492 bilhões em 2014, entre atividades diretas, indiretas e induzidas. O montante representa 9,6% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e leva em conta que o turismo teve investimentos de R$ 59,6 bilhões no país no ano passado. AWTTC reúne os maiores empresários do setor e coleta informações em 184 países, com análise dos resultados econômicos e projeções para o futuro. Quando considerada apenas a contribuição direta, a participação do turismo no PIB brasileiro é de 3,5% (R$ 182 bilhões), revela o relatório.

No Acre são vários os dados que apontam um processo de expansão da indústria do turismo. Como os da Infraero, que mostram um crescimento de 3,4% no número de desembarque de 2013 em relação a 2014 em Rio Branco e 6,6% em Cruzeiro do Sul e do serviço de imigração da Polícia Federal, que revelam um crescimento significativo na entrada de turistas pelas fronteiras acreanas, em quase 50%. Além disso, dados do Cadastur revelam também um crescimento de 12% no número de novos empreendimentos turísticos. Sendo o maior crescimento, 25%, se deu no número de empresas de organização de eventos, seguida por bares e restaurantes, cujo crescimento foi de 21%. O setor hoteleiro alcançou 6% de crescimento e as agências de viagens 10%. Já as empresas de locação de veículos, transportadoras turísticas e prestadoras de infraestrutura de apoio a eventos não apresentaram nenhum aumento.

Entretanto, é preciso esclarecer aos mais desavisados, que não estamos falando apenas do turismo de lazer. Acreditar que, para o setor, turismo é apenas viajar a passeio é ter uma ideia completamente errônea da realidade e que precisa ser combatida com veemência. Turismo é acima de tudo um negócio rentável, que gera emprego e renda para uma cadeia produtiva que possui aproximadamente 52 atividades correlatas. O turismo de lazer é apenas um dos seguimentos de turismo, sendo que no Acre o mais forte é o turismo de negócios. Também se faz necessário esclarecer que para o setor, turista é todo aquele que se desloca entre uma cidade e outra e utiliza pelo menos um serviço de pernoite na localidade receptiva.

Portanto, o Governo do Estado, por meio da equipe da Secretaria de Estado e Turismo, trabalha no sentido de fomentar ações que possibilitem o crescimento do setor e o fortalecimento da cadeia produtiva do turismo, que consequentemente interfere positivamente na economia local. Para tanto, acreditamos que embasar tecnicamente, por meio de pesquisas e dados estatísticos e outros instrumentos de gestão, a elaboração de políticas públicas a serem executadas, é demonstrar ao setor o comprometimento da importância tamanha o Setor de Turismo possui para o desenvolvimento do Acre.

Rachel Moreira – Secretária de Estado de Turismo.

Assuntos desta notícia