Pular para o conteúdo

ARTIGO: Mais engenharia, mais desenvolvimento

O Brasil vive hoje momentos de dificuldades econômicas e políticas, pensando nisso cria-mos o Fórum permanente de Engenharia e Desenvolvimento Sustentável, com intuito de promover o envolvimento de vários setores da sociedade em um diálogo sobre o futuro. A ideia é fomentar propostas e ações para enfrentar a crise do País.

Essa nossa iniciativa, será um valioso instrumento de mobilização pela expansão econômica com distribuição de renda e preservação ambiental. Assim como se mantém a convicção de que o Brasil pode avançar e oferecer boas condições de vida a sua população. Precisamos colocar a Ciência, Tecnologia e Inovação das profissões universitárias e de áreas técnicas na discussão para o desenvolvimento sustentável.



O combate a crise, se dará pelo braço da engenharia, com a introdução da inovação e tecnologia na produção industrial agrícola, na logística de exportação, no ordenamento das cidades, na produção de energia, gestão das águas e nas soluções inteligentes de engenharia para o funcionamento das cidades.

Como a profissão do desenvolvimento por excelência é a engenharia, e com uma economia estagnada como a atual, a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), já alertava em seu projeto ‘‘Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento’’ que para reverter esse quadro, é necessário reduzir a taxa de juros, ter uma política industrial de Estado e investir em logística e infraestrutura.

Mudanças de clima e os anseios da sociedade por um futuro sustentável forçam a busca de um novo paradigma energético e de novas possibilidades de produção. A engenharia precisa somar esforços na busca do enfrentamento dos problemas do mundo contemporâneo, se posicionando em seu lugar de destaque nestes desafios.

Pensando nisso, Murilo Celso de Campos Pinheiro, nosso presidente da Federação Nacional dos Engenheiros, espelhando-se no Estado do Acre, apresentou a proposta de constituição de um movimento nacional pela Engenharia Unida, no qual defende a unidade de todo o campo da engenharia brasileira, em sua rede de entidades representativas, associativas e de profissionais dos engenheiros, propondo a participar ativamente do processo de defesa e construção do desenvolvimento brasileiro.

Murilo é um idealista com experiência comprovada e a confiança construída ao longo dos anos de atuação unitária e agregadora na defesa da construção de uma engenharia forte e participativa na luta por um país melhor e mais igual.  Uma liderança incontestável de atitudes concretas e inovadoras para o crescimento da nação.

Nosso presidente da FNE é um profissional apto a liderar o processo de aperfeiçoamento e modernização das principais instâncias representativas da profissão do engenheiro.  A sua história de luta o qualifica para assumir novos desafios em 2017. A engenharia brasileira convoca o engenheiro Murilo Celso de Campos Pinheiro.

* Tião Fonseca, presidente do Sindicato dos Engenheiros do Estado do Acre e diretor da FNE e CNTU  

error: Conteúdo protegido!!!