Assembleia Legislativa realiza solenidade em alusão ao Dia Internacional da Mulher

 A pedido da deputada estadual Juliana Rodrigues (PRB), a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou na quarta-feira, 8, uma sessão solene em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado na data de ontem.

O presidente do Poder Legislativo, deputado Ney Amorim (PT), presente na sessão, pontuou a participação das mulheres no desenvolvimento do Estado. “As mulheres têm tido uma participação importante no desenvolvimento do Acre. Mulheres guerreiras que fazem a diferença na história do Acre. Como filho, pai e esposo sei da importância do papel da mulher em todo o contexto de nossa vida. Sintam-se todas agraciadas e feliz dia a todas vocês”, parabenizou.

Na ocasião, a autora do requerimento destacou as conquistas alcançadas pelas mulheres ao longo dos últimos anos. Ela pontuou que mesmo com tantas vitórias, ainda existem muitas barreiras a serem vencidas.

“Sem sombra de dúvidas temos o que comemorar, afinal de contas, ao longo dos anos vencemos muitas batalhas. Porém, ainda existem muito a ser conquistado. Infelizmente, ainda existe diferença salarial, sem falar na violência contra a mulher que ainda persiste. A luta ainda não acabou. Temos um caminho a ser trilhado, mas como guerreiras que somos, tenho certeza que alcançaremos ainda mais coisas. Não podemos desanimar diante das diversidades, nós ainda iremos alcançar a sonhada igualdade”, disse Juliana Rodrigues.

A parlamentar lembrou que uma realidade a ser mudada é a participação das mulheres na política. “Conquistamos, sim, nossos direitos políticos, mas a taxa de participação da mulher na política ainda é muito pequena. Conclamo as mulheres deste país a batalharem por cargos políticos. Precisamos estar unidas para lutar por nossos direitos”.

Projeto de lei

Destacando a importância de se aumentar o debate acerca da violência contra a mulher, a deputada apresentou à Mesa Diretora da Aleac na manhã de ontem, 8, um Projeto de Lei que dispõe sobre o ensino de noções básicas da Lei Maria da Penha, no âmbito das escolas estaduais do Estado.

“Precisamos conscientizar nossos jovens desde cedo para respeitar as mulheres e combater os atos de violência que desagregam famílias e muitas vezes resultam em crimes contra a vida. A educação é a base da formação de um cidadão que vai respeitar a mulher como ela merece”, disse.

Ela apresentou ainda uma indicação ao governo do Acre para que a Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres promova a parceria entre os órgãos ligados à defesa dos direitos das mulheres junto às instituições de ensino superior que atuam no Acre.

“Como a violência contra a mulher não escolhe idade ou classe social, penso que o combate a essa prática horrenda deve ser combatida em várias frentes, em vários campos de atuação. A punição para os crimes de violência contra a mulher existem e devem existir, mas havendo atuação efetiva na educação e prevenção, certamente uma diminuição considerável na prática de violência contra a mulher será notória”.

Assuntos desta notícia