Pular para o conteúdo

Fechando para balanço

Fechando o ano hoje com muitas comemorações, mas também com muitas graves questões a se analisar e a refletir e muitas expectativas para o ano que vai começar.
A nível nacional, as análises são as mais diversas, mas não há como ignorar e negar que o país está sendo governado por um presidente da República que deu provas que não está preparado para exercer o mais alto cargo da República e alguns analistas chegam a por em dúvidas sua sanidade mental e deveria(pasmem!) ser interditado.
Resultado é o de que 2019, apesar de uma aparente e questionada reação dos níveis econômicos, manipulados pelo mercado financeiro, continua com trágico nível de desemprego. Segundo alguns institutos independentes, como o Diese, somando o desemprego formal de mais de 11 milhões com a informalidade, são mais de 40 milhões de brasileiros desempregados.
Outra grave questão – esta sim uma tragédia – foi o que aconteceu com a devastação da Amazônia com a derrubada e queimadas de suas florestas que chamou a atenção e foi repudiada pelas nações civilizadas. Uma tragédia incentivada por este mesmo Governo sem a mínima noção da importância que a Amazônia representa.
A nível local, também, há pouco a se comemorar. O que assistiu ao longo do ano foi um Governo em permanente troca de secretários e, a rigor, ainda não se sabe que Governo é este. Evidentemente, com graves consequências sobre a prestação dos serviços essenciais, como os da Saúde, Segurança Pública e infraestrutura.
Esperar melhorias ou milagres para 2020? Não é por aí. Só uma conscientização e reação da sociedade pode mudar este quadro em alguns aspectos catastróficos.