Com 98% dos leitos ocupados, Acre entra na Bandeira Vermelha

Considerando a recomendação do Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19, o governo do Estado do Acre publicou o Decreto Nº 7.849 na noite desta segunda-feira, 1º, que trata da mudança imediata de classificação de todas as regionais de saúde do estado para o Nível de Emergência (Bandeira Vermelha), em virtude do repentino agravamento do risco de colapso do sistema de saúde pela pandemia de Covid-19.

A decisão anunciada na noite desta segunda é válida até uma nova classificação, marcada para o dia 19 de fevereiro (Foto: Marcos Vicentti/Secom)

A antecipação da classificação que seria anunciada apenas na sexta-feira, 5,  foi necessária devido ao aumento que segue crescente no número de novos casos e óbitos da doença. Atualmente, 98% dos leitos da rede pública para Covid-19 em todo o Acre estão ocupados.

A decisão é válida até uma nova classificação, marcada para o dia 19 de fevereiro e traz restrições quanto ao funcionamento de serviços considerados não essenciais, além de se manter a medida que restringe aglomeração das 22h às 5 horas.

Por mensagem, o governador Gladson Cameli destacou: “Estamos fazendo tudo o que podemos para diminuir o prejuízo da população, mas não existe preço quando se trata de vida. Não podemos postergar uma decisão para protegê-las. Espero a compreensão de todos e eu como governador, junto de toda minha equipe, estamos mostrando nossa capacidade, compromisso e toda responsabilidade possível. Essa luta não é só minha, mas de todos nós”.

Entre as novidades das medidas adotadas está a utilização do regime de trabalho remoto para todos os servidores públicos, ressalvados os casos necessários à garantia da manutenção dos serviços considerados essenciais e imprescindíveis à população, como as áreas de saúde e segurança pública.

“Esperamos que essa seja uma medida que possa resolver o problema da Covid-19 nos próximos 14 dias. Não estamos fazendo um lockdown. A medida é para que as pessoas fiquem em casa, façam um esforço, sejam conscientes. Sabemos que vários segmentos serão afetados de alguma forma, mas precisamos desse esforço nesse momento”, completou o procurador-geral do estado, João Paulo Setti. (Samuel Bryan / Secom Acre)

Assuntos desta notícia