Forças de segurança do Acre prendem investigados pela morte de adolescente de 13 anos 

Na manhã desta quarta-feira, 3, em ação conjunta envolvendo Polícia Civil (PC-AC) e Polícia Militar (PM-AC), foram presos quatro homens por envolvimento na morte da adolescente Raquel Melo de Lima, 13 anos. O crime ocorreu no último domingo, 31, na Estrada do Amapá, em Rio Branco.

A investigação policial aponta que na noite de sexta-feira, 29 de janeiro, a vítima e sua mãe, ao saírem de uma igreja foram cercadas por cinco membros de uma organização criminosa, que as levaram para uma casa abandonada. Os criminosos liberaram a mãe de Raquel e em seguida torturaram a adolescente até a morte.

No dia seguinte ao crime, dois suspeitos foram presos pelas forças de segurança. Já na manhã de hoje foram presos mais quatro envolvidos pela Polícia Militar. “Diante da troca de informações da DHHP com os Militares do 2º batalhão foi possível prender hoje outros quatro envolvidos juntamente com as armas usadas no crime: uma garrucha .36 de fabricação artesanal e um rifle .22”, disse o Major Velásquez da Polícia Militar.

Delegado Marcos Cabral, titular da DHPP, falou sobre o caso (Foto: Ascom/Polícia Civil)

O delegado Marcos Cabral, titular da DHPP, enfatiza que essa troca de informações entre as forças é um norte na elucidação de crimes graves.

“Diante das informações que a Policia Militar já tinha, foram presos quatro homens por porte ilegal de armas de fogo no ramal do “pica-pau”. Após irmos na Delegacia de Flagrante, com base nas informações que já tínhamos e da confissão dos suspeitos assumindo a autoria da morte da adolescente, o delegado plantonista representou pela prisão preventiva desses envolvidos junto ao Poder Judiciário”, disse Cabral.

Destaca-se que será apurado também todas as condutas dos indivíduos, desde o crime de homicídio, a ocultação do cadáver, participação em organização criminosa, porte ilegal de arma de fogo e o crime de incêndio contra a casa da família da vítima.

“Todos esses crimes serão investigados no mesmo inquérito policial e encaminhado ao Poder Judiciário”, finalizou o delegado. (Ascom/Polícia Civil)

Assuntos desta notícia