Pular para o conteúdo
ainda sem acordo

Protesto dos integrantes do Cadastro de Reserva da PM completa sete dias na Aleac

O grupo continua acampado em frente a Assembléia Legislativa do Estado e busca o apoio dos parlamentares visando o chamamento do Cadastro de Reserva

mobilização, cadastro de reserva, acre, aleac, pmac
Mobilização continua por tempo indeterminado (Foto: Cedida)

O protesto pacífico realizado pelos integrantes do Cadastro de Reserva (CR) do último concurso da Polícia Militar do Acre completa nesta segunda-feira, 9, sete dias de duração, ainda sem acordo com o governo do Estado. Na próxima terça-feira, 10, os deputados estaduais devem retomar as atividades presenciais na Assembleia Legislativa do Acre, o que acende a esperança do grupo em receber o apoio de parlamentares.

Embora o governo do Estado tenha informado por meio de nota na última semana que está impedido legalmente de nomear os concursados, mas que tem a ‘intenção’ de reaproveitar parte do pessoal no Corpo de Bombeiros, os quase 300 integrantes do Cadastro de Reserva ainda tem a esperança de conseguir o apoio dos deputados estaduais, além de receberem a visita do governador Gladson Cameli, para que ele trate pessoalmente com o grupo, como ocorreu em outras ocasiões.

“Amanhã nós vamos estar em peso na Aleac e pedir o apoio dos deputados. Também continuamos aguardando a visita do governador [Gladson Cameli] que esteve no nosso acampamento na última vez, pois queremos um posicionamento dele”, declarou Wanessa Morais, integrante do CR.

Susto no fim de semana

No início da madrugada do último domingo, 8, os manifestantes passaram por um susto ao serem ameaçados por um morador de rua. Um dos integrantes chegou a ficar ferido ao tentar desarmar o homem que estava armado com um canivete.

Desde então, a Polícia Militar reforçou as rondas na região para proteger o grupo que sonha com a carreira militar.

Apesar do susto, os reservistas pretendem continuar a mobilização por tempo indeterminado.

Leia também: ‘Desrespeito’, declara comissão do Cadastro de Reserva da Polícia Civil em repúdio ao governo