Pular para o conteúdo
desemprego em 15,9%

Com 62 mil desempregados, taxa de desocupação no Acre é maior que a registrada em todo o Brasil

Segundo a pesquisa, são 62 mil pessoas desocupadas no Acre entre abril e junho de 2021, o que representa uma taxa de desocupação de 15,9%

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua Trimestral divulgados, nesta terça-feira, 31, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que o percentual da população desocupada no Acre, entre abril e junho, foi maior que a de todo o Brasil, colocando o Estado com a oitava maior taxa de desemprego do país.

Segundo a pesquisa, são 62 mil pessoas desocupadas no Acre entre abril e junho de 2021, o que representa uma taxa de desocupação de 15,9%, portanto, mantendo estabilidade em relação ao trimestre anterior que apresentou taxa de 16,8%, entre janeiro e março deste ano. No Brasil, a taxa de desemprego está em 14,1% com 14,4 milhões de pessoas desempregadas.

O Acre está atrás apenas de Pernambuco, com 21,1%; Bahia, 19,7%; Sergipe, 19,1%; Alagoas, 18,8%; Maranhão, 17,2%; Amapá, 16,4% e Rio Grande do Norte, 16,4%.

A pesquisa também avaliou o percentual de pessoas subutilizadas. O contiengente de pessoas nesta situação chega a 173 mil, no entanto, apesar do alto número, houve estabilidade frente ao semestre anterior, com 171 mil pessoas, e cresceu 29,7% – 39 mil pessoas – em relação ao mesmo trimestre de 2020.

O contingente classificado pelo IBGE como trabalhadores subutilizados reúne, além dos desempregados, os desalentados, aqueles que estão subocupados (trabalham menos de 40 horas semanais), e os que poderiam estar ocupados, mas não trabalham por motivos diversos.

Já o percentual de empregados com carteira de trabalho assinada chegou a 63,1% no setor privado e em relação ao número, verificou-se 65 mil pessoas, com queda de 7,2% (5 mil pessoas) frente ao trimestre anterior.